Vereadores aprovam criação do Polo Gastronômico do Alto Juvevê

(Foto: Divulgação/Alto Juvevê Gastronomia)

Para não se tornar um problema, o novo Polo Gastronômico do Alto Juvevê, criado nesta semana mediante aprovação na Câmara dos Vereadores de Curitiba, precisa ter a mediação do Poder Público. E isso para evitar conflito com atividades pré-existentes na região ou mesmo com moradores.

Segundo o urbanista Luiz Henrique Cavalcanti Fragomeni, aspectos como o ruído, o trânsito e até a oferta de vagas de estacionamento podem ser determinantes para a sobrevivência ou não desse novo núcleo especializado que surge na capital paranaense.

A iniciativa foi aprovada em primeiro turno na segunda-feira (16) com 34 votos favoráveis dos 38 possíveis. Quatro parlamentares não estavam presentes no momento da votação. Já o placar do segundo turno foi de 29 votos a favor e oito ausências. Agora, a proposta, do vereador Bruno Pessuti (PSD), segue para sanção do prefeito Rafael Greca (PMN).

Outro exemplo dessa segmentação é o fato de Curitiba ser hoje considerada a capital brasileira da cerveja artesanal, devido à presença de inúmeras empresas do ramo nos arredores da cidade.

Pelo texto, o Polo Gastronômico do Alto Juvevê deve abranger trechos dos bairros Cabral e Juvevê. Na justificativa, um dos argumentos usados pelo proponente foi o de que a iniciativa favorece o comércio gastronômico e promove melhorias, inclusive na infraestrutura.

Também nessa terça, os vereadores aprovaram, em primeiro turno, a criação do Polo Gastronômico do Uberaba, e o assunto segue em debate com outros projetos que estabelecem o mesmo tipo de nicho de mercado nos bairros Água Verde e Santa Felicidade e na Região Norte.

Em 2016, o Polo Gastronômico da Itupava foi criado e a inauguração está prevista para o final deste mês.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*