Três suspeitos de participar de grupo que fazia pirâmide financeira se apresentam à polícia

(Foto: divulgação/Polícia Civil)

Três pessoas suspeitas de participar de um grupo que pode ter obtido mais de R$ 30 milhões de reais por meio de um esquema de pirâmide financeira se entregaram para a Polícia Civil, em Curitiba. A operação da polícia contra o grupo tinha acontecido na quarta-feira e os três eram considerados foragidos. Eles se apresentaram à polícia no final da manhã dessa sexta-feira.

De acordo com as investigações, o grupo Wolf Trade Club recrutava pessoas para fazer investimentos na empresa, sob promessa de um retorno financeiro de 30% sob o capital investido, em um período de três meses.

Segundo o delegado André Feltes, eles não tinham autorização para trabalhar no formato em que a empresa atuava.

Nas redes sociais, os suspeitos ostentavam uma vida de luxo, com carros de alto valor e viagens pelo mundo – era uma das maneiras de convencer os clientes de que o retorno era alto e rápido. Mas as vítimas recebiam muito pouco ou nem chegavam a receber o dinheiro que foi investido.

A Polícia Civil descobriu que a empresa e demais membros não possuíam qualquer tipo de credenciamento para operar com administração de carteira de valores mobiliários. Em um dos casos, os suspeitos chegaram a forjar um contrato de garantia de veículo, avaliado em R$ 67 mil, prometendo rentabilidade de 50% em três meses.

Reportagem: Felipe Harmata/Ricardo Pereira

(Foto: divulgação/Polícia Civil)