NacionalGeral

6 pessoas foram presas na Operação Lottus da Polícia Federal

Cerca de 70 agentes foram às ruas para cumprir 14 mandados judiciais

 6 pessoas foram presas na Operação Lottus da Polícia Federal

Foto: Arquivo/Agência Brasil

6 pessoas foram presas durante a Operação Lottus da Polícia Federal, que teve início nas primeiras de hoje (quarta,17) no Paraná e Pernambuco. A ação é contra uma quadrilha suspeita de usar uma transportadora para mandar entorpecentes a outros estados do Brasil, principalmente o Rio Grande do Sul. Ao todo, foram presos quatro homens e duas mulheres. Cerca de 70 agentes foram às ruas para cumprir 14 mandados judiciais em Cascavel, Toledo, no oeste do Estado, e em um resort de luxo na praia de Porto de Galinhas, no litoral de Pernambuco, onde um dos alvos da polícia estava hospedado de férias. A investigação inicial apontou que as drogas vinham do Paraguai e cruzavam a fronteira pelo lago de Itaipu.

O esquema operava desde 2020 e a suspeita é de que um advogado com conhecimento em contabilidade abriu várias empresas fictícias em nome de traficantes, que emitiam notas fiscais falsas de produtos naturais para dissimular a remessa de drogas. O principal destino era Lajeado, no Rio Grande do Sul, mas também foram identificados envios para os estados de São Paulo, Ceará e Espírito Santo. A Justiça Federal em Cascavel também determinou o sequestro de contas bancárias, imóveis e automóveis de suspeitos e laranjas. Os empreendimentos usados para lavagem de dinheiro da quadrilha ficam na região central de Cascavel e simulavam a atuação em vários ramos, como autocenter, loja de roupas e loja de móveis.

O transporte e o despacho dos entorpecentes eram feitos, preferencialmente, por mulheres com filhos menores de idade, pois acreditavam que se fossem encontradas, não ficariam presas. A ação recebeu o nome de “Operação Lottus”, uma referência à flor de lótus, que segundo a Polícia Federal era a marca registrada do grupo. Em diversas drogas apreendidas, a PF encontrou a flor de lótus. Os suspeitos devem ser indiciados por tráfico internacional de drogas, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Reportagem: Ângelo Sfair e Leo Coelho

mariane.abreu

Problema na Itaipu Binacional deixa cidades do Paraguai no escuro

Problema na Itaipu Binacional deixa cidades do Paraguai no escuro

Anomalia foi registrada na manhã deste sábado (28) e não afeta o lado brasileiro