A cada hora, 35 motoristas desrespeitam o limite de velocidade em Curitiba

(Foto: divulgação/Prefeitura de Curitiba)

A falta de respeito aos limites de velocidade é comum entre os motoristas que trafegam por Curitiba. Um levantamento feito pela Secretaria Municipal da Defesa Social e Trânsito apontou que, por dia, 850 condutores desrespeitam a regra em relação à velocidade máxima de tráfego permitida em ruas da capital.

Ainda conforme a pesquisa, o motorista desrespeita o limite a cada um minuto e 42 segundos e a cada hora o número chega a 35 condutores flagrados acima do permitido por lei. No acumulado do primeiro semestre, foram 153.816 autuações de trânsito por excesso de velocidade.

O Secretário da pasta, Guilherme Rangel, fala que falta bom senso e compreensão por parte dos motoristas em relação ao perigo de exceder o limite de velocidade.

Registro da Secretaria Municipal da Defesa Social e Trânsito mostra que na Rua General Mario Tourinho, onde o limite de velocidade é de 60 km/h, um veículo chegou a passar a 171 km/h, na madrugada do dia 27 de fevereiro. Já na esquina das ruas Visconde do Rio Branco com Padre Agostinho, no bairro Mercês, um motorista alcançou 110 km/h, no dia 8 de junho, no início da tarde.

O secretário municipal fala que, na tentativa de evitar que as estatísticas aumentem até o fim do ano, o poder público tem trabalhado em duas frentes de forma concomitante: uma preventiva e outra repressiva.

O secretário salienta que os equipamentos de fiscalização têm um papel-chave na segurança viária e rebate as críticas de que há uma “indústria da multa”.

Os dados da secretaria ainda mostram que a situação mais comum é do motorista que trafega em velocidade superior à máxima em até 20%. Esses casos representam 90% do total de infrações registradas. Outros 9% das multas se referem a velocidade superior à máxima de 20% a 50% e 1% são de motoristas que transitam em mais de 50% do limite permitido.

A multa para quem desrespeitar o limite de velocidade de uma via pode ultrapassar os 880 reais a depender da velocidade registrada no radar.

Reportagem: Thaissa Martiniuk