ParanáGeral

Advogados de Arruda afirmam que registros apagados configuram crime

Dois dias após o crime, foram apagadas as informações sobre acesso às imagens das câmeras

 Advogados de Arruda afirmam que registros apagados configuram crime

Imagem: Reprodução

Advogados que representam a família do tesoureiro do PT morto a tiros por um policial penal bolsonarista afirmam que a limpeza dos registros de acesso das câmeras de monitoramento foi uma tentativa de destruição de provas. Segundo a denúncia do Ministério Público, Jorge Guaranho decidiu ir até a festa de aniversário de Marcelo Arruda após ter acesso às imagens do circuito interno do clube onde acontecia o evento.

O advogado Paulo Henrique Guerra Zuchoski afirma que apagar os registros é uma ação que configura crime e precisa ser investigada. Com base nessa informação do laudo pericial, os advogados devem refazer pedidos anteriormente negados para a produção de provas:

Para os advogados da família de Arruda, entender a dinâmica das imagens do circuito de segurança é fundamental para compreender o crime. O guarda municipal celebrava os 50 anos em uma festa com decoração alusiva ao PT e ao ex-presidente Lula. O evento aconteceu no dia 9 de julho, um sábado. Na segunda-feira seguinte, dia 11, os registros de acesso às câmeras foram apagados, de forma a impedir que soubessem quem teve acesso remoto às imagens do clube.

Os representantes da família de Arruda afirmam que é necessário saber quem apagou e com qual motivação:

O advogado lembra que o titular da ação penal é o Ministério Público. Como representantes da família da vítima, os defensores atuam na assistência da acusação. Segundo o Ministério Público, as informações que constam no laudo pericial são “graves” e podem ser apuradas em um novo inquérito.

Reportagem: Angelo Sfair.

felipe.costa

As mulheres são maioria no eleitorado do Paraná

As mulheres são maioria no eleitorado do Paraná

A maior parte das votantes no Estado tem entre 25 e 29 anos

Paraná é o mais ágil para novos empreendedores no Sul

Paraná é o mais ágil para novos empreendedores no Sul

Os paranaenses levam em média 19 horas para abrir uma empresa no estado

Empresa oferece vagas de emprego para pessoas com deficiência

Empresa oferece vagas de emprego para pessoas com deficiência

As vagas são nas cidades de Londrina, Maringá e Rio Branco do Sul

Setor de baladas: profissionalização pode garantir negócios mais duradouros

Setor de baladas: profissionalização pode garantir negócios mais duradouros

De acordo com o Sebrae, muitos empreendedores não conhecem o mercado