COLUNAS

Colunistas // Mirian Gasparin

Foto da Colunista Mirian Gasparin

Além da valorização dos imóveis, investidores ganham com aluguel

 Apartamentos compactos atraem investidores e movem cadeia imobiliária

Foto: Reprodução.

Em tempos de incerteza e de inflação alta, os imóveis acabam sendo uma das opções preferidas dos investidores. Além do lucro com a valorização do patrimônio no médio e longo prazo, os ativos imobiliários são seguros e permitem que os donos de imóveis possam usufruir também de retornos mensais com aluguel.

E com demanda aquecida, todos os negócios que giram em torno da cadeia imobiliária, envolvendo a indústria e comércio de materiais de construção, construtoras, incorporadoras, imobiliárias e até mesmo o setor de móveis, são favorecidos. 

Eu conversei com o diretor comercial da Pride Construtora, Thiago Kuntze, e ele me disse que nos dez anos em que empresa está no mercado, em termos de venda, 2022 se apresenta como o melhor período. Além da procura por moradias ter aumentado, o investimento em imóveis está bastante aquecido. E esta demanda se verifica em maior número para apartamentos compactos, conhecidos como studios ou de um quarto, com metragem entre 21 e 29 metros quadrados.

O executivo me explicou que antes da pandemia, este tipo de imóvel tinha como público estudantes e jovens que saiam da casa dos pais. Hoje, os investidores são os principais compradores desses imóveis, diante das diversas possibilidades de locação e da alta rentabilidade dos aluguéis.

Um studio, por exemplo, atende tanto um estudante que veio de outra cidade, como um casal que está aqui para tratamento médico ou um idoso que busca a segurança mesmo morando sozinho. O diretor comercial da Pride me contou que a aposta da construtora nos imóveis compactos começou há três anos. Em julho foram lançados 165 studios no bairro Água Verde e em outubro serão mais 195 unidades no bairro Portão. A construtora paranaense que atua em Curitiba e Região Metropolitana, Londrina e Ponta Grossa, no ano que vem, vai também disputar o concorrido mercado de Santa Catarina.  

Pesquisas apontam que os imóveis novos têm apresentado uma valorização média de 15% ano. Já os imóveis mais velhos têm registrado um ganho médio de 10%. Thiago Kuntze me disse imóveis comprados na planta chegam a valorizar 40% até a data da entrega.

No caso de imóveis comprados para locação, além da valorização do bem, o investidor também lucra com o aluguel.

Em 2021, de acordo com um estudo realizado pela Brain Inteligência Estratégica, 40% dos imóveis vendidos em Curitiba e região metropolitana foram considerados compactos. E essa procura está fazendo com que as incorporadoras lancem no mercado novos empreendimentos neste formato.

Ainda de acordo levantamento da Brain sobre o perfil do investidor imobiliário, mais da metade dos investidores aplicam seu capital em imóveis residenciais, e destes, 47% empregam em apartamentos compactos.

A procura de pequenos imóveis para compor a carteira de investimentos está associada a alta rentabilidade proveniente de alugueis. Hoje, um studio custa, em média, R$ 200 mil, e quem compra para alugar consegue ter uma rentabilidade mensal de 0,7%, além da valorização do imóvel, o que traz um ganho real maior que poupança ou outros formatos de investimentos, além da segurança e baixa volatilidade do mercado, transformando em uma moeda forte estável.

Confira abaixo a coluna em áudio:

Foto da Colunista Mirian Gasparin

Mirian Gasparin