Após casos de sarna, 52 presos são transferidos da delegacia de SJP e carceragem é interditada

(Foto: divulgação/ Conselho da Comunidade)

A Vigilância Sanitária de São José dos Pinhais, na Grande Curitiba, interditou hoje (11) a carceragem da principal delegacia da cidade. Os 52 detentos foram levados à Casa de Custódia de Piraquara (CCP). A transferência acontece após denúncias de que a delegacia, além de superlotada (a capacidade é para apenas oito presos), estava com um surto de sarna. Os doentes serão tratados e ficarão isolados na Casa de Custódia até que a transferência para o sistema prisional seja efetivada. Não há prazo para a conclusão do processo.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública e Administração Penitenciária (SESP-PR), a higienização levará de 7 a 10 dias. Depois disso, a carceragem poderá ser utilizada novamente. Os episódios de sarna e superlotação são recorrentes nesta delegacia. O diretor do Conselho Comunitário de Execução Penal de São José dos Pinhais conta que o órgão atua há anos para tentar garantir condições dignas para detentos, policiais e visitantes. Allan Luis Teixeira diz que medidas mais enérgicas foram tomadas após uma advogada ter contraído a doença de pele de um dos presos:

A Vigilância Sanitária também tentava a interdição desta delegacia há mais de três anos. A sarna é uma doença de pele causada por um tipo específico de ácaro que causa muita coceira e é considerada altamente contagiosa. Nestas condições, a carceragem passou a colocar em risco a saúde pública:

A delegacia de São José dos Pinhais tem capacidade para abrigar apenas 8 presos, mas raramente o espaço estava com menos de 50 pessoas. De acordo com o Conselho da Comunidade, a carceragem já deveria estar fechada. A SESP-PR reconhece que descumpriu determinações da Vigilância Sanitária, mas afirma que ainda está em tratativas com o Ministério Público para verificar a melhor forma de solucionar a questão.

Os 52 presos transferidos – entre eles, duas mulheres – agora aguardam uma vaga no sistema prisional. Considerando apenas as unidades administradas pelo Depen-PR, a superlotação atual é de 2.901 vagas. São pouco mais de 21 mil detentos no estado, que tem a capacidade para abrigar 18.515 pessoas.

A Casa de Custódia de Piraquara, para onde os 52 presos provisórios de São José dos Pinhais foram levados nesta manhã, também opera acima da capacidade. Na contagem deste domingo (10), a CCP registrou a presença de 1.500 presos. A Casa de Custódia foi construída para abrigar, no máximo, 1.332 pessoas.

Reportagem: Angelo Sfair

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*