Athletico e Inter começam a disputa pela taça da Copa do Brasil

(Foto: Ricardo Pereira/BandNews Curitiba)

A Copa do Brasil começa a ser decidida hoje (11). Athletico Paranaense e Internacional fazem o primeiro jogo da final na Arena da Baixada, em Curitiba, a partir das 21h30. Os donos da casa buscam o título inédito, enquanto que os visitantes querem o segundo troféu da competição. O Furacão foi vice, em 2013.

No entanto, o time não contava com o fator casa – estava sem a Arena da Baixada, que era reformada para a Copa do Mundo. Já o Inter teve uma conquista da Copa do Brasil, mas foi há 27 anos: em 1992. Depois dessa disputa, não ganhou mais nenhuma taça a nível nacional. Hoje pela manhã, alguns torcedores do time gaúcho foram até a Arena da Baixada para trocar o voucher pelo ingresso e também para conhecer o estádio.

Vindos de Tramandaí, litoral norte do Rio Grande do Sul, o Diego Brehm e o Vinícios Lessa viajaram 640 quilômetros para acompanhar o time.

Já o torcedor atleticano espera ver o time, pela primeira vez, com uma taça da Copa do Brasil. O Valmir Peixoto, desde hoje cedo, estava com a camisa do time, apostando em uma vitória nas duas partidas da final.

O Athletico teve que passar por Fortaleza, Flamengo e Grêmio para chegar à decisão da Copa do Brasil. O Furacão soma duas vitórias, três empates e uma derrota no torneio. Já o Inter superou Paysandu, Palmeiras e Cruzeiro. O Colorado tem cinco vitórias e apenas uma derrota. O título também vale uma premiação milionária. O campeão recebe R$ 52 milhões. E o vice, R$ 21 milhões. Athletico e Inter já somam R$ 12,3 milhões só em premiações. Ou seja, quem conquistar a taça, vai faturar R$ 64,3 milhões.

A expectativa de público é de quebra de recorde – o melhor público do estádio é de 39.618 pagantes, com 40.263 no total, no 1 a 1 com o Junior Barranquilla (4 a 3 nos pênaltis), na Sul-Americana de 2018. O jogo entre Furacão e Colorado está marcado para 21h30 de hoje, na Baixada. A finalíssima da Copa do Brasil será na quarta seguinte (18), às 21h30, no Beira-Rio.

Reportagem: Ricardo Pereira