Bens de Richa são bloqueados em ação que cobra R$ 19,8 milhões por propaganda eleitoral irregular

Em decisão liminar, a justiça determinou o bloqueio de bens do ex-governador Beto Richa, alvo de ação civil do Ministério Público do Paraná. A promotoria pede a restituição de 19 milhões e 800 mil reais, em valores atualizados, que teriam sido gastos com propaganda irregular quando Richa era prefeito de Curitiba e pretendia concorrer à reeleição, em 2008. O suposto ato de improbidade administrativa prescreveu, mas o ex-governador ainda pode ser condenado a restituir os valores. Richa chegou a ser multado três vezes pelo Tribunal Regional Eleitoral, que reconheceu a prática de propaganda eleitoral ‘extemporânea’.

O Ministério Público chegou a sustentar que houve enriquecimento ilícito, pois o ex-governador teria usado dinheiro público, e não o próprio patrimônio, para confeccionar o material de campanha. A defesa de Richa promete prestar os esclarecimentos diante da justiça. Em nota, o ex-governador questiona a ação do Ministério Público.

A defesa lembra que a promotoria chegou a propor um acordo de 30 mil reais, que não foi aceito por Richa. Em abril, esse valor se transformou em 300 mil reais e, ‘de forma absolutamente extraordinária’, segundo a defesa, o ressarcimento pulou para 20 milhões de reais, na ação proposta no mês passado.

Reportagem: Cleverson Bravo

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*