Beto Richa deixa a cadeia beneficiado por decisão do STJ

(Foto: Angelo Sfair/ BandNews Curitiba)

Beneficiado por um habeas corpus concedido pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), o ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB), deixou o Complexo Médico-Penal (CMP) na manhã de hoje (sexta, 1º). Ele havia sido preso preventivamente na semana passada (sexta, 25) em um desdobramento da Operação Lava Jato. Richa foi acusado pelo Ministério Público Federal (MPF) por receber R$ 2,7 milhões de propinas em um esquema de corrupção envolvendo concessionárias de rodovias federais.

A decisão favorável ao tucano foi publicada pelo presidente do STJ, ministro João Otávio Noronha, por volta das 19h da quinta-feira (31). Uma hora depois, a decisão foi enviada à Justiça Federal do Paraná (JFPR) via mala direta. Apesar disso, o alvará de soltura só foi expedido na manhã desta sexta-feira (1º).

Esta é a segunda vez que o ex-governador do Paraná deixa a prisão beneficiado por decisões dos tribunais superiores de Brasília. Em setembro do ano passado, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes também liberou o tucano da prisão. À época, o político foi solto três dias depois de ser detido na Operação Rádio Patrulha – ação do Ministério Público Estadual (MP-PR) que apura irregularidades em licitações que beneficiaram a empreiteira Odebrecht em obras da PR-323. Gilmar Mendes também emitiu uma ordem para que o tucano não fosse preso novamente nestas mesmas condições.

Desta vez, por decisão do presidente do STJ, João Noronha, Beto Richa também recebeu um salvo-conduto. O instrumento impede que ele e o irmão, Pepe Richa, sejam presos cautelarmente no âmbito da Operação Integração II, a não ser que novas provas sejam apresentadas. Segundo MPF, a prisão preventiva era necessária porque o tucano teria tentado influenciar as investigações em agosto do ano passado.

No despacho, Noronha destaca que, em momento algum” ficou caracterizada a participação de Beto Richa na “suposta tentativa de alterar/influenciar o depoimento da testemunha.

Por meio de nota enviada pela assessoria de imprensa do tucano, o ex-governador Beto Richa afirma que “nunca cometeu qualquer irregularidade e sempre esteve à disposição da Justiça para provar sua inocência”.

Reportagem: Angelo Sfair/ Cleverson Bravo/ Thaissa Martiniuk

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*