Blocos partidários têm até segunda-feira para indicar representantes para CCJ da Assembleia

Foto: Sandro Nascimento/Alep

Cinco blocos partidários apresentaram pedido de registro à mesa diretora da Assembleia Legislativa. São as bancadas de deputados formadas por MDB e DEM; PSDB e PV; por PR, PRB e PODE; por PDT, PMN e PPL; e PSL e PTB. Sete siglas optaram por não formar blocos. Lideranças do governo e da oposição já estão decididas. Bancadas e blocos também decidiram quem vai ocupar as funções de líderes e vice-líderes.

Antes mesmo do prazo final para essas indicações, que foi esta quarta-feira (6), governo e oposição já haviam escolhido os deputados para liderar as duas bancadas. O líder do governo é o deputado Hussein Bakri, do PSD. Apesar de eleito como segundo suplente, ele se manteve na Assembleia graças à convocação de dois colegas para assumir secretarias no governo de Ratinho Júnior – os deputados Guto Silva e Márcio Nunes, ambos do PSD.

O deputado estadual Tadeu Veneri, do PT, é o líder da bancada de oposição na Assembleia Legislativa. O PSD tem como líder o deputado Mauro Moraes; o PSC será liderado por Wilmar Reichembach; PSB, Tiago Amaral; PT, por Professor Lemos; PPS, Douglas Fabrício; PROS, por Soldado Fruet; e PP, Maria Victória. 

O bloco PSL/PTB tem como líder o deputado Do Carmo, do PSL; o bloco PSDB/PV fica sob a liderança de Michele Caputo, do PSDB; o bloco MDB/DEM tem como líder o deputado Anibelli Neto, do MDB; o bloco PR/PRB/PODE escolheu como líder o deputado Alexandre Amaro, do PRB; e o bloco PDT/PMN/PPL fica sob a liderança do deputado Goura, do PDT. Até segunda-feira (11) os blocos têm que indicar representantes titulares e suplentes para integrar a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), considerada a mais importante da Casa.

Composta por 13 parlamentares, ela tem a função de analisar a constitucionalidade e a legalidade das proposições submetidas ao Legislativo. A comissão deve fazer a primeira reunião na terça-feira (12). O deputado Fernando Francischini, do Solidariedade, tem o apoio de Ratinho Júnior para presidir a CCJ. Nelson Justus, do DEM, também está na disputa pela presidência da comissão.

Reportagem: Lenise Klenk

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*