Casal cria reserva particular para aves ameaçadas de extinção

Foto: divulgação/ Ricardo Lopes

Na entrada da Lagoa do Parado, em Guaratuba, no Litoral do Paraná, uma área de 43 hectares é abrigo para espécies de aves ameaçadas de extinção. Na Reserva Bicudinho-do-Brejo é possível encontrar o papagaio-da-cara-roxa, o apuim-de-costas-pretas e a saíra-sapucaia. O local está em processo para ser transformado em uma Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) na região.

Um legado da bióloga Bianca Reinert, que morreu em setembro do ano passado. Hoje, quem toca a iniciativa é o marido dela, o também biólogo Ricardo Belmonte.

Para ajudar nas custas de manutenção da área, Ricardo se tornou também artesão: o casal desenvolveu uma peça de cerâmica que retrata o Bicudinho-do-Brejo. O valor das vendas é repassado para a reserva. A iniciativa surgiu por conta de uma doença que Bianca enfrentou – e a afastou das atividades em campo. O ateliê conta ainda com outros produtos artísticos, entre canecas, acessórios e até mesmo um livro.

A reserva também tem ainda o apoio da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza.

O estúdio está atualmente montado na residência de Ricardo, mas a intenção é mudar a estrutura para uma chácara em Piraquara (PR). Para adquirir algum dos produtos do ateliê ou contribuir com a campanha de vaquinha online é só acessar a página da reserva no Facebook: reservabicudinhodobrejo

Reportagem: Ana Flavia Silva

Foto: divulgação/ Ricardo Lopes