Caso Mahara: ex-marido que matou estudante a facadas é condenado a mais de 28 anos de prisão

(Foto: divulgação)

Depois de um julgamento que durou 16 horas, o Tribunal do Júri condenou a 28 anos e 7 meses de prisão o ex-marido da estudante de Direito, Mahara Carolina Scremin, que tinha 23 anos. Ênio Ivan Bertoncello, que confessou o assassinato ocorrido em 2017, recebeu a sentença na madrugada desta terça-feira (16). Ele foi condenado pelos crimes de homicídio qualificado por motivo torpe, meio cruel, dissimulação, feminicídio e fraude processual e permanece preso. A defesa não informou se irá, ou não, recorrer da decisão.

Por ciúmes, Ênio matou Mahara a facadas em maio de 2017, na casa dela, no bairro Boqueirão. O crime aconteceu quando o homem percebeu que a estudante estava em um novo relacionamento, meses após o término entre o casal – e que nunca foi aceito por Ênio.

Ao término do julgamento, a mãe da vítima, Cristiane D’ávila, conversou com a imprensa.

Após assassinar Mahara com golpes de faca no pescoço, ele ainda tentou incendiar a casa da vítima para eliminar evidências da autoria do crime. Além disso, ele levou o tablet e o celular da ex-mulher para simular um assalto. A família só soube da morte no dia seguinte. Antes de a polícia descobrir quem cometeu o crime, Ênio chegou a ir ao velório e abraçar a ex-companheira no caixão. Os dois foram casados por três anos e haviam se separado no começo de 2017.

Reportagem: Ricardo Pereira/ Ana Flavia Silva/ Cleverson Bravo