Ministro anuncia Centro Regional de Inteligência do Sul que deve unificar forças de segurança em Curitiba

(Foto: Lenise Klenk/BandNews Curitiba)

Curitiba deve ser a sede do Centro Regional de Inteligência do Sul, que procura unificar forças de segurança de várias esferas em ações de combate ao crime organizado. Em visita a uma unidade penitenciária da região metropolitana de Curitiba nesta quinta-feira (16), o ministro da segurança, Raul Jungmann, disse que deve tratar da estruturação da unidade no Paraná depois das eleições.

Jungmann visitou a  Unidade de Progressão da Penitenciária Central do Estado, em Piraquara. O presídio é considerado um modelo no sistema penitenciário porque todos os detentos ficam ocupados de manhã, tarde e noite com trabalho e  estudo. São 240 presos, todos em fase final de cumprimento da pena. Entre os critérios para ingressar na Unidade de Progressão estão o bom comportamento, não ter praticado crimes hediondos e não ter vínculo com facções criminosas.

A experiência está longe de representar a realidade do sistema prisional do Paraná, que abriga cerca de 29.500 detentos. A maioria, cerca de 20 mil, está em 33 unidades penitenciárias, em uma relação equilibrada entre vagas e detentos. A superlotação se concentra nas carceragens de delegacias, que têm 9.500 presos distribuídos em apenas 4.500 vagas.

O ministro Raul Jungmann admite que o sistema prisional brasileiro está estrangulado e aposta em parcerias público-privadas para diminuir a superlotação e garantir a ressocialização dos egressos.

Jungmann também esteve na sede da Justiça Federal de Curitiba, em uma reunião sobre o sistema que integra informações da Justiça e do Poder Executivo estadual.

Reportagem: Lenise Klenk

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*