Chega a cinco o número de vereadores investigados por suspeita de corrupção

(Foto: divulgação/CMC)

Chega a cinco o número de vereadores investigados pela suspeita de recebimento de parte do salário de ex-funcionários. Além de Kátia Dittrich (SD), Thiago Ferro (PSDB), Geovane Fernandes (PTB) e Rogério Campos (PSC), agora também Osias Moraes (PRB) é alvo de investigação. Kátia e Ferro são alvo de apuração interna na Câmara.

Já os casos dos outros três seguem em sigilo e são apurados pela Promotoria de Proteção ao Patrimônio Público, do Ministério Público do Paraná. A denúncia contra Rogério Campos parte de um ex-funcionário do gabinete. Ele e colegas teriam sido obrigados a fazer repasses dos salários ao vereador.

Rogério Campos diz que o ex-funcionário foi demitido há três anos e estaria aproveitando a oportunidade para denegrir a imagem do parlamentar.

Osias Moraes ainda não se pronunciou. Ele faz parte da comissão responsável por investigar a colega Kátia. Com relação à Geovane Fernandes, um ex-assessor também diz que foi obrigado a devolver parte dos salários ao vereador.

Segundo ele, Fernandes também teria exigido isso de outros quatro funcionários. De acordo com o gabinete do vereador, em respeito ao sigilo da apuração, ele não vai comentar o caso.

O presidente da Casa, Serginho do Posto (PSDB), promete firmeza na apuração da conduta de colegas. Entretanto, diz que os casos não afetam a imagem da Câmara.

Na semana passada, vieram à tona as denúncias contra Kátia Dittrich (SD) e Thiago Ferro (PSDB). Ex-assessores de Kátia apresentaram comprovantes de transações bancárias para a conta da parlamentar.

Contra Thiago Ferro, pesa a denúncia de um ex-funcionário que alegou ter devolvido dinheiro em uma época anterior ao mandato, mas não apresentou provas. Kátia e Thiago negam as acusações.