COLUNAS

Colunistas // Mirian Gasparin

Empresa de Curitiba que fabrica parabólicas investe para atender usuários da nova tecnologia

 Chegada do 5G movimenta mercado de tecnologia

Foto: Divulgação

A chegada do 5G ao Brasil está movimentando os mais diversos tipos de negócios, sendo que muitas empresas estão investindo, seja para prestar serviços ou oferecer equipamentos para atender as demandas da nova tecnologia.

Se por um lado, o 5G vai revolucionar o uso dos smartphones, de outro lado trará mudanças para os usuários de antenas parabólicas, que terão que trocar os equipamentos à medida que a nova conexão de telefonia móvel for entrando nas cidades. É que ambos utilizam a mesma faixa de frequência, de 3.5 gigahertz.

Só para se ter uma ideia, em todo o Brasil, estão em funcionamento 20 milhões de antenas parabólicas. Isso significa que 60 milhões de brasileiros assistem hoje a TV aberta utilizando a antena parabólica. O Paraná é o sétimo estado com maior número de   antenas parabólicas, com quase um milhão e meio de equipamentos instalados em residências nos diversos municípios paranaenses.

Eu conversei com o Rômulo Freire, que é o sócio fundador da Vivensis, empresa de tecnologia com sede em Curitiba¸ que está entre as vencedoras do pedido de cotação realizado pela Siga Antenado, entidade administradora da Faixa EAF. A Vivensis será a responsável pela instalação de um lote de 68 mil kits gratuitos para substituir as parabólicas tradicionais pela nova parabólica digital, de um total de 268 mil em todo o Brasil. Os equipamentos serão destinados a famílias de baixa renda, inscritas em programas sociais do governo federal e que assistam TV por parabólica tradicional. Esta operação começou no mês de junho.

Para atender a demanda do Siga Antenado, bem como da troca de antenas dos demais usuários não contemplados no programa social, a Vivensis investiu R$ 20 milhões na instalação de uma fábrica em Manaus, que começa a funcionar em novembro, e abriu em Curitiba um novo Centro Tecnológico de Atendimento, com mais de 400 colaboradores. A empresa também reestruturou os processos e ferramentas internas e contratou executivos com grande experiência em multinacionais do segmento de eletrônicos. Por isso, está confiante de que o faturamento deve dobrar nos próximos dois anos.

Segundo Romulo Freire, diretor da Vivensis, as novas antenas parabólicas deve ter um custo entre R$ 699 e R$ 799, dependendo da região. A empresa curitibana está bastante confiante com as vendas, pois com a nova tecnologia o potencial de comercialização deve aumentar bastante, já que muitos usuários vão querer trocar o equipamento devido a boa qualidade do sinal. Outro motivo do otimismo, é que 2022 é ano de Copa do Mundo, e sempre que este evento esportivo acontece, as vendas geralmente aumentam entre 30% e 50%.

Outro dado curioso sobre as novas parabólicas é em relação ao tamanho, que diminui de 1,70 metro para apenas 60 centímetros.

Confira abaixo a coluna em áudio:

Mirian Gasparin