Ciclistas percorrem 550 quilômetros em defesa da Escarpa Devoniana

Foto: divulgação / Facebook Observatório de Justiça & Conservação

Três ciclistas se sensibilizaram com a ameaça de redução de 70% da Área de Proteção Ambiental (APA) da Escarpa Devoniana, dos Campos Gerais do Paraná, e decidiram percorrer, em oito dias, os 12 municípios por onde passa a unidade de conservação. Serão mais de 550 quilômetros pedalando. Apesar de parte do trajeto ser feito pelas principais rodovias que ligam as cidades, o esforço relembra a “Rota dos Tropeiros”, que criaram, no século 18, as vilas, que mais tarde viraram os 12 municípios onde hoje fica a APA.

A partida ocorreu na segunda-feira (11), às 9 horas da manhã, no Parque São José, em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba.

O percurso pode ser acompanhado em tempo real pelo internet. A intenção dos “ciclo-tropeiros” é alcançar o município de Sengés, o último da lista, dia 19 de dezembro, próxima terça-feira (19).

A viagem encerra na cachoeira do Vale do Corisco, uma das mais exuberantes da região. Em outras ocasiões, o grupo já cruzou os Estados do Paraná e Santa Catarina de leste a oeste e, em 2020, pretendem pedalar do oceano Atlântico ao Pacífico.

O projeto de lei que propõe a redução da Escarpa tramita na Assembleia Legislativa e está na Comissão de Ecologia, Meio Ambiente e Proteção aos Animais. De autoria do deputado Plauto Miró (DEM), primeiro secretário da Assembleia, e do presidente da Casa, Ademar Traiano (PSDB), o projeto de lei deve ser votado somente em 2018. Traiano já assegurou que a não será votada neste ano. Após pressão de ativistas, o líder do governo na Assembleia, Luiz Cláudio Romanelli (PSB), retirou a assinatura do projeto. Os defensores da proposta dizem que as mudanças não afetariam as belezas naturais, que ficam fora das mudanças. A Área de Proteção Ambiental já conta com uma extensa produção agrícola, que é legalizada, e a modificação, segundo o projeto, facilitaria a vida dos agricultores ao obterem financiamentos em bancos.