ParanáGeral

Comissão Parlamentar pede esclarecimentos sobre inquérito de Arruda

O inquérito foi finalizado após cinco dias de investigação

 Comissão Parlamentar pede esclarecimentos sobre inquérito de Arruda

Foto: Reprodução/Facebook – Arquivo Pessoal

A delegada Camila Ceconello, titular da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) esteve nesta terça-feira na Assembleia Legislativa do Paraná para esclarecer dúvidas sobre o inquérito da morte do guarda municipal e tesoureiro do PT Marcelo Arruda. Ela conversou com os deputados que integram a Comissão Parlamentar formada para acompanhar as investigações. Tadeu Veneri (PT) e Arilson Chioratto (PT) questionaram alguns equívocos cometidos durante as investigações, como o anúncio da suposta morte de Guaranhos, que teria levado doze horas para ser desmentido. Outro ponto levantado foi a perícia do celular do policial penal federal, que segundo a delegada, não foi apreendido no dia do crime porque ele foi levado com vida para o hospital e o aparelho foi entregue aos familiares.

Os parlamentares solicitaram que informações que estejam no aparelho e possam ter ligação com o crime sejam incluídas no processo. O inquérito foi finalizado após cinco dias de investigação, antes da divulgação de dados contidos no celular de Jorge Guaranho, autor do crime, e antes que fossem divulgados os resultados de exames de confronto balístico e de perícia no carro do policial. A reconstituição no local do crime também não havia sido realizada. Por conta da falta de alguns laudos e também de diligências, a polícia terá que complementar as investigações com novas informações. A decisão é do juiz Gustavo Arguello e atende pedidos feitos pelo Ministério Público Estadual após a defesa de Arruda contestar a conclusão. O MP apontou ainda que também não foi divulgada a conclusão dos laudos periciais de leitura labial dos envolvidos no momento do crime, em imagens captadas pelas câmeras de segurança da festa. Para o advogado Daniel Godoy, que representa a família da vítima, as novas provas devem deixar o inquérito mais claro.

Em contato com a reportagem, os advogados de Guaranho afirmaram que só irão se manifestar após a conclusão das diligências solicitadas. Em nota, a Secretaria de Segurança Pública do Paraná informou que a Polícia Civil irá cumprir as diligências rapidamente e que as perícias já tinham sido requisitadas pela autoridade policial à Polícia Científica, na semana passada. A pasta não soube precisar uma data ou previsão para divulgação dos resultados.

Reportagem: Vanessa Fontanella e Leonardo Gomes

Band News Curitiba - 96,3 FM

Mega-Sena: duas apostas do Paraná acertam 6 dezenas

Mega-Sena: duas apostas do Paraná acertam 6 dezenas

Duas apostas feitas no Paraná acertaram seis dezenas e foram ganhadoras do prêmio principal da

Justiça nega pedido de Habeas Corpus a Jorge Guaranho

Justiça nega pedido de Habeas Corpus a Jorge Guaranho

Para manutenção da prisão, o relator citou "as eleições que se avizinham"

Jorge Guaranho chega ao Complexo Médico Penal, em Pinhais

Jorge Guaranho chega ao Complexo Médico Penal, em Pinhais

Réu pela morte de Marcelo Arruda, policial penal teve a prisão domiciliar revogada

Compras do Dia dos Pais devem aumentar 8% em 2022

Compras do Dia dos Pais devem aumentar 8% em 2022

Um estudo da Faciap mostrou que a maioria dos comerciantes está otimista para este ano