Congresso Nacional discute reprodução assistida em Curitiba

(Foto: divulgação)

Curitiba recebe no fim do mês a 23ª edição do Congresso Brasileiro de Reprodução Assistida. O encontro deve reunir cerca de 800 profissionais, entre médicos, embriologistas, enfermeiros, psicólogos e especialistas em reprodução humana, além de ginecologistas, urologistas, mastologistas, oncologistas e gestores de clínicas.

Entre os temas abordados está o congelamento de óvulos, embriões, tecido ovariano, gravidez após os 40 anos, indução de ovulação e oncofertilidade – o processo de colhimento de óvulos e congelamento prévio antes de tratamentos de câncer. Segundo o presidente do Congresso, Álvaro Ceschin, a proposta é compartilhar as experiências dos profissionais e os avanços da medicina em reprodução.

Com o slogan “Plantando sementes, gerando vidas”, o Congresso faz uma analogia a ação da Gralha Azul (ave símbolo do Paraná), que, ao enterrar pinhões, ajuda a formar novas árvores e florestas. É esse o papel dos profissionais da reprodução assistida: ajudar na geração de novas vidas. No Brasil, estima-se que 8 milhões de pessoas sofram com a infertilidade.

A solenidade de abertura do congresso terá uma palestra magna do Procurador da República, Deltan Dallagnol, às 19h do dia 1º de agosto. A programação vai até o dia 3 de agosto, no Expo Unimed Curitiba. Mais informações e inscrições podem ser feitas pelo site http://sbracongressos.com.br.

Reportagem: Ana Flavia Silva