PolíticaEleições

Curitibana integra lista de nomes indicados à vaga do TSE

Rogéria Fagundes Dotti foi indicada pelo ministro Edson Fachin

 Curitibana integra lista de nomes indicados à vaga do TSE

A advogada curitibana Rogéria Fagundes Dotti integra a lista de nomes sugeridos pelo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Edson Fachin, para preencher a vaga da corte destinada a um jurista. O anúncio da lista foi feito na manhã desta quarta-feira (27/4), durante o Seminário #ParticipaMulher – Por uma cidadania plena.
Em claro empenho pela promoção da equidade de gênero, a lista destaca-se pelo caráter paritário, sendo composta por dois homens e duas mulheres. Rogéria Dotti chegou a declinar da indicação na segunda-feira, 25/4, em razão de seus compromissos profissionais e acadêmicos. Contudo, o ministro Fachin conclamou-a a manter seu nome para submetê-lo à análise do Supremo Tribunal Federal (STF). Também compõem o rol sugerido pelo TSE Vera Lúcia Santana Araújo, André Ramos Tavares e Fabrício Juliano Mendes Medeiros.

Reconhecida por sua advocacia na área civil, Rogéria Dotti tem histórico de pioneirismo na representatividade das mulheres advogadas. É a única profissional a ter presidido o centenário Instituto dos Advogados do Paraná.

Digiqole ad

Angela Luvisotto

TRE-PR sedia teste dos sistemas de candidaturas e propaganda eleitoral

TRE-PR sedia teste dos sistemas de candidaturas e propaganda eleitoral

Evento é realizado em Curitiba de segunda (23) a sexta-feira (27)

Saúde presta contas ao Legislativo na terça (24)

Saúde presta contas ao Legislativo na terça (24)

Câmara deve discutir recomendação do uso de máscaras em ambientes fechados e com aglomeração

“Só Deus me tira do cargo”, diz Bolsonaro em Curitiba

“Só Deus me tira do cargo”, diz Bolsonaro em Curitiba

O presidente da República cumpre agenda em Curitiba durante este sábado (21)

E-mail racista teve remetente forjado, aponta Câmara

E-mail racista teve remetente forjado, aponta Câmara

Resultado preliminar foi apresentado ao TJ e justifica recurso que pode reverter suspensão de julgamento