COLUNAS

Colunistas // Mirian Gasparin

Internet e mão de obra qualificada são pontos fundamentais para o desenvolvimento da inovação

 Dia Nacional da Inovação: muitos desafios para vencer

Oséias Gomes. Foto: divulgação

Hoje é o Dia Nacional da Inovação. Atualmente, o Brasil ocupa a posição de número 57 no Índice Global de Inovação (IGI) dentre os 132 países que compõem o ranking. Não estamos num lugar privilegiado, porém subimos cinco posições em relação a 2020.

Eu conversei com o empresário e diretor de Inovação da Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Ponta Grossa, Oséias Gomes, e perguntei a ele sobre o que está faltando para um maior desenvolvimento da inovação no Brasil e ele me disse que dois pontos são fundamentais. O primeiro é melhorar a internet para que as conexões realmente aconteçam e o segundo ponto é atentar para a formação de mão de obra qualificada. Na sua avaliação, a profissão do futuro está na área da tecnologia, porém as faculdades e universidades, tanto públicas, quanto privadas, não estão formando profissionais suficientes. Além de falta de investimento para a formação de mão de obra qualificada, outro problema é que um bom profissional não se qualifica no curto prazo.

O empresário me contou que está construindo um hub de 6 mil metros quadrados, em Ponta Grossa, para abrigar 400 startups da área de inovação e a sua grande preocupação é em relação à mão de obra qualificada.

E neste dia dedicado à inovação, Oséias Gomes destaca que inovação é acreditar em algo que ainda não foi experimentado, é ser pioneiro e ter visão do futuro. Mas, diante da realidade atual, como manter as iniciativas de inovação em alta para continuar numa constante evolução?

Para o empresário, este é um grande desafio, mas é preciso muito mais do que disposição para fazer um empreendimento dar certo. A sua criação precisa ter um propósito e essa motivação precisa ser genuína e útil tanto para o dono do negócio, quanto para o público que vai atingir.

Outra dica para quem quer inovar, é ser persistente. Oséias Gomes aconselha que para permear a vida empreendedora o empresário tem que ser persistente. Agora, existe uma diferença entre persistência e teimosia. De acordo com o empresário, persistir é perseverar, mesmo diante dos desafios que é empreender. Já a teimosia é insistência após perceber um equívoco, após não receber a aprovação por parte do mercado do que estava fazendo.

Por fim, Oséias Gomes, que escreveu dois best-sellers sobre gestão e negócios, destaca que inovar e empreender é uma grande jornada. Ele compara com uma montanha a ser escalada: o caminho é longo, não é fácil de ser percorrido, e alguns obstáculos podem existir no meio do caminho. Mas, vale a pena. Não somente pela conquista de alcançar o topo como também pela paisagem, que é linda, assim como seu sonho sendo concretizado.

Confira a coluna em áudio:

Mirian Gasparin