Eleitores de Bolsonaro comemoraram no entorno da PF; militantes pró-Lula dizem que vigília segue no local

Foto: Lenise Klenk/BandNews Curitiba)

Assim que o primeiro resultado parcial da apuração foi divulgado, apoiadores do presidente eleito Jair Bolsonaro, do PSL, começaram a chegar às ruas próximas ao prédio da Polícia Federal em Curitiba, onde o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está preso.

No mesmo momento, pouco depois das 19h deste domingo (28), se encerravam os atos diários da Vigília Lula Livre e os eleitores do candidato Fernando Haddad, do PT, que estavam no local começaram a se retirar. Ao contrário do que ocorreu em outras manifestações realizadas na região, desta vez a Polícia Militar não separou os grupos políticos opostos e as ruas chegaram a ser liberadas para carros.

Por alguns instantes, o clima ficou tenso com a proximidade de eleitores dos dois candidatos. Foi quando apoiadores de Lula se recolhiam em uma casa alugada a uma quadra do terreno onde são realizados os atos da vigília. O trânsito de carros nas ruas próximas ao prédio da Polícia Federal foi novamente impedido e os eleitores de Bolsonaro começaram a chegar a pé. Na comemoração, a maioria das manifestações era contra o ex-presidente Lula e o PT.

Se depender dos organizadores da Vigília Lula Livre, as manifestações de apoio a Bolsonaro na noite deste domingo não devem alterar a rotina dos atos diários em apoio ao ex-presidente. Um dos coordenadores nacionais do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra, Roberto Baggio, diz que as atividades serão retomadas, como de costume, nesta segunda-feira.

Além das equipes de policiais militares que ficaram nas ruas próximas, um grupo de 20 agentes federais reforçou a segurança na área interna do prédio da Polícia Federal. O uso de rojões e fogos de artifício foi permitido. Segundo os policiais das duas corporações, mesmo os disparados em direção ao prédio não representaram risco para a segurança no local.

Reportagem: Lenise Klenk

(Foto: Ricardo Pereira/BandNews Curitiba)