Em Curitiba, ex-presidente Dilma comenta ataque a Bolsonaro

Ao deixar a sede da Polícia Federal em Curitiba nesta quinta-feira (6), depois de uma visita a Lula, a ex-presidente Dilma Rousseff lamentou o ataque sofrido pelo candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro, do PSL. A presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann, também comentou o assunto. Para Dilma Rousseff, a violência não pode ser tolerada em um ambiente político.

Assim como Dilma Rousseff, a senadora Gleisi Hoffmann também cobrou a punição ao responsável pela agressão.

Gleisi Hoffmann, que tinha entrada liberada na sede da Polícia Federal na condição de advogada, não visitou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta quinta-feira (6). Ela está impedida de atuar na defesa de Lula por decisão judicial. Às quintas-feiras, Lula recebe a visita de familiares e também está autorizado a receber dois amigos. Os advogados podem se reunir com ele de segunda a sexta-feira, em qualquer momento.

Reportagem: Lenise Klenk

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*