Em Curitiba, Haddad afirma que democracia está ameaçada neste processo eleitoral

(Foto: Narley Resende/BandNews Curitiba)

Candidato do PT à presidência da República, ex-ministro Fernando Haddad disse nesta segunda-feira (24) que nesta eleição sua “carta aos brasileiros” – em alusão ao documento assinado pelo ex-presidente Lula em 2002 – é reeditada em seu plano de governo. Haddad disse isso depois de pergunta sobre o “manifesto à nação” que é preparado pelo candidato Jair Bolsonaro (PSL), que pretende diminuir rejeição entre o eleitorado.

Sobre o tema, o candidato do PT ao Palácio do Planalto afirmou que a democracia está sendo ameaçada diariamente durante o processo eleitoral e reforçou que a campanha do partido sempre terá como objetivo o fortalecimento e o respeito à soberania popular.

[

Haddad também falou sobre proposta para alimentação saudável dos brasileiros, com fortalecimento da agricultura familiar e integração de projetos.

Ao ser questionado sobre uma eventual autocrítica do partido em relação às administrações que levaram o país à Lava Jato e ao impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, Haddad se esquivou e disse que os julgamentos devem partir da oposição.

Desde que foi oficializado como candidato à presidência pelo PT, esta é a segunda vez que Fernando Haddad visitou o ex-presidente Lula na Polícia Federal, onde está preso desde abril deste ano. Haddad tem acesso livre ao ex-presidente por fazer parte de seu grupo de defesa, o que lhe garante acesso irrestrito à PF.

Reportagem: Thaissa Martiniuk/ Narley Resende

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*