COLUNAS

Colunistas // Mirian Gasparin

Indústria de Pinhais vai aumentar produção e buscar novos mercados

 Empresa paranaense de massas faz 50 anos e reposiciona marca

Imagem: divulgação.

O Brasil é considerado hoje o terceiro maior mercado de massas do mundo, atrás de Estados Unidos e Itália. E, nesse cenário, as massas frescas estão se destacando em volume de vendas. Pesquisas apontam que o consumo deve continuar crescendo ainda mais nos próximos anos. 

E de olho neste mercado, a paranaense Romanha Indústria de Alimentos, que vai completar 50 anos de atividades, está aumentando algumas linhas de produtos, buscando novos mercados e fazendo o reposicionamento de sua marca. Eu conversei com o CEO da Romanha, o empresário César Kulpa, e ele me disse que pela primeira vez nestas cinco décadas de existência, a empresa familiar, que tem sua fábrica no município de Pinhais, está investindo na sua marca.

Com 8 mil clientes ativos e líder de mercado na Região Sul, a Romanha tem como meta crescer 50% em faturamento nos próximos cinco anos. O CEO da Romanha me contou que embora a empresa seja familiar, está profissionalizando a sua gestão e pretende se tornar uma indústria 4.0. Há oito meses contratou um diretor comercial, que está também alinhado com o novo plano de marketing.

César Kulpa me adiantou que o mercado de massas frescas é bastante concorrido e daí a necessidade de desenvolver novos produtos. Aliás, a indústria deverá lançar em breve uma linha de massas recheadas na categoria premium, com maior valor agregado e levando um diferencial ao consumidor.

Recentemente, a Romanha adquiriu a empresa SundHed, também localizada em Pinhais, que produz 18 linhas de produtos sem glúten e está sendo dirigida pela terceira geração da família Kulpa. Com o reposicionamento, a marca será chancelada pela Romanha.

Ainda em relação ao reposicionamento da marca, o empresário me explicou que haverá mudanças nas embalagens e no slogan, para que o consumidor perceba que está comprando um produto diferente e com qualidade. Os projetos também incluem cursos de gastronomia de massas frescas, voltados para os consumidores que gostam de cozinhar.

Para finalizar, vale destacar a produção da indústria, que emprega 260 funcionários, que é de 4,5 milhões de toneladas ao ano de massas frescas.

Confira a coluna em áudio:

Mirian Gasparin