Endividamento dos paranaenses se mantém estável em outubro

Foto: Marcos Santos/USP Imagens)

O endividamento segue estável no Paraná pelo segundo mês consecutivo. 89,5% das famílias paranaenses estavam endividadas em outubro. Número muito parecido com o de setembro e agosto.  O cartão de crédito é o principal motivo das dívidas, tendo sido mencionado por 70% dos paranaenses no mês de outubro. Em seguida aparece o crédito imobiliário, com 10%, depois as dívidas com automóveis que concentram 9,5% das dívidas. Os dados são da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor, da Fecomércio.

As contas em atraso e a capacidade de quitação das dívidas tiveram melhora. A parcela de endividados com contas atrasadas caiu de 27,5% em setembro para 25,9% em outubro. Já a proporção de endividados que não terão condições de quitar suas dívidas baixou de 11,3% em setembro para 10,1% no mês passado.

Segundo a coordenadora de pesquisa da Fecomércio, Priscila Andrade, os resultados mostram que as pessoas estão procurando pagar as contas antes de fazer novas dívidas.

A média nacional de endividamento também se manteve inalterada, permanecendo em 60,7% em outubro. Ainda que o Paraná tenha o maior percentual de endividados do país, os paranaenses não se sentem  endividados.

Os consumidores que se consideram muito endividados correspondem a 27,4%, enquanto cerca de 46% considera estar moderadamente endividada.

As famílias com renda superior a dez salários mínimos mensais são as mais endividadas, com 93,6%, ante 88,7% entre aquelas com renda inferior.  Em média, os paranaenses permanecem 6 meses comprometidos com dívidas. 46% está endividada por até três meses. As dívidas por mais de um ano afetam 42,5% das famílias. Já as dívidas entre 6 meses e 1 ano somam 6,9%, e entre 3 e 6 meses, 4,3%.

Reportagem: Felipe Harmata

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*