Equipe de acusação não deve pedir medidas preventivas contra Carli Filho

(Foto: Narley Resende/ BandNews FM Curitiba)

A equipe de acusação avalia de forma favorável o início do segundo dia de júri do ex-deputado estadual Carli Filho. O júri popular do ex-deputado começou com 20 minutos de atraso, por volta das nove e 50 da manhã. Neste segundo dia de julgamento, promotores do Ministério Público e advogados da assistência de acusação abriram a sessão com uma hora e meia para sustentação da tese.

O advogado que representa a família de uma das vítimas, Elias Mattar Assad, disse que acredita na condenação do ex-deputado, com base em todas provas apresentadas.

Segundo o juiz que conduz o júri, Daniel de Avelar, a decisão dos jurados deve ser conhecida até o fim da tarde de hoje (28). Independente de qual seja o posicionamento dos jurados, Carli Filho não deve sair preso do tribunal. Ele pode recorrer em liberdade. A defesa também não deve pedir nenhuma medida preventiva.

Mattar Assad falou por cerca de meia na manhã de hoje, depois da sustentação inicial do promotor do Ministério Público, Macelo Balzer. Ele exibiu reportagens do acidente e depoimentos de testemunhas e reforçou que outras pessoas podem morrer se Carli não for condenado por ter assumido o risco de matar, tema central do debate.

O advogado falou também sobre o depoimento do ex-deputado, em que ele se disse arrependido por tudo o que aconteceu e assumiu o erro de ter bebido e dirigido.

O júri deve ser interrompido para almoço. Acusação e defesa devem ter ainda uma hora para réplica e tréplica antes dos votos dos jurados.