Escola Segura é estendido para Região de Curitiba

(Foto: divulgação)

O programa Escola Segura, do Governo do Estado, vai ser lançado em colégios de nove cidades da Região de Curitiba, na semana que vem. A iniciativa está em vigor a quase quatro meses, em Foz do Iguaçu, no Oeste, e Londrina, no Norte do Paraná.

O projeto leva policiais da reserva para reforçar as atividades do Batalhão de Patrulha Escolar Comunitária. O colégio só é incluído no programa se a direção da unidade autorizar. As rondas são feitas em dois turnos. O primeiro entre as sete da manhã e as três da tarde; e o segundo das 15h às 23h. O calendário inicial do Escola Segura previa que o programa fosse implantado em maio, como de fato aconteceu.

Antes disso, no entanto, o lançamento chegou a ser antecipado em quase dois meses, depois que dois ex-alunos entraram em uma escola de Suzano, na Grande São Paulo, em março, e mataram a tiros duas funcionárias e cinco estudantes — de 15 a 17 anos; um dos atiradores também tinha 17 anos. A Associação dos Militares cobrou melhores condições de remuneração para os policiais e o Governo teve que revisar o edital. Dessa maneira, o calendário foi adiado e entrou em vigor apenas em maio.

Nesta quarta-feira (04), em Foz do Iguaçu, um dos integrantes do projeto apreendeu um revólver falso e dois cartuchos de calibre 38, com um aluno de 13 anos. O sargento da reserva, José Santos da Cunha, conta que fez a abordagem após a denúncia de outros estudantes.

A Patrulha Escolar Comunitária foi acionada e o estudante acabou encaminhado para a Delegacia do Adolescente para prestar esclarecimentos. O sargento confirmou que já tinha participado da abordagem a garotos da mesma faixa etária, localizados com drogas.

A chefe do Núcleo Regional de Educação de Foz do Iguaçu, Silvana Garcia André, avalia que o saldo inicial do programa na região é positivo.

Antes da chegada do Escola Segura na Região de Curitiba, no final da tarde desta quinta-feira (05), um homem de 34 anos foi preso em flagrante, por tráfico de drogas, no Tatuquara, extremo sul da capital. Segundo a polícia civil, quando foi detido, o suspeito estava a cerca de 50 metros de um colégio. Denúncias apontaram que ele costumava vender drogas no local.

O homem foi abordado com cinco porções de maconha e quatro pedras de crack, além de 400 reais — soma em moedas e notas abaixo de 20 reais, provável produto do tráfico.

Reportagem: Cleverson Bravo

(Foto: divulgação/Polícia Civil)