Estudantes participam de aulas de capoeira na Ilha do Amparo

Foto: divulgação/Rafael Pinheiro

Maresia, canoa, maré mansa, guapê e jararaca. As palavras são conhecidas por todos, mas entre os alunos da Escola Municipal do Campo “Amparo” e do Colégio Estadual do Campo Paulo Lopes, localizadas na Ilha do Amparo, em Paranaguá, elas são mais que nomes dados a objetos, frutas ou animais.

São apelidos de alguns dos alunos do professor de capoeira, Luiz Paulo Matraca.

As aulas iniciaram em fevereiro desse ano e acontecem por meio do projeto “Capoeira nas Escolas”, promovido pela empresa portuária Cattalini Terminais Marítimos, em parceria com instituições públicas de ensino e o grupo Abadá Capoeira, de Curitiba.

As aulas são gratuitas e acontecem às segundas-feiras. Aos sábados, a roda de capoeira é aberta à toda a comunidade da Ilha

Segundo o capoeirista, Luiz Paulo Matraca, a capoeira é vai além dos ritmos, ela ajuda os alunos a desenvolverem habilidades de relacionamento com outras pessoas, além de disciplina.

A responsável pela Escola Municipal do Campo “Amparo”, professora Luciana Bonafini viu a parceria com a iniciativa privada como uma forma de ampliar as atividades dos estudantes da ilha.

A estudante Ana Luiza Vidal, de 15 anos, viu na capoeira uma atividade que mudou sua rotina.

Aléxia dos Santos, de 13 anos, também moradora da Ilha do Amparo disse que quer praticar a capoeira pra sempre.

Na Ilha do Amparo, localizada a cerca de 30 minutos de barco de Paranaguá, moram cerca de 300 famílias, que vivem essencialmente da pesca.

Além das escolas localizadas na Ilha, outros dois colégios de Paranaguá integram o projeto CAPOEIRA NAS ESCOLAS, atendendo cerca de 90 alunos de 8 a 14 anos.

Para 2019, a expectativa é ampliar o número de escolas participantes.

Reportagem: Kelly Frizzo

Foto: divulgação/Cattalini Terminais

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*