Filme com renda beneficente estreia nos cinemas do Paraná nesta quinta (27)

Diretora Executiva do HPP, Ety Cristina Forte Carneiro, Lara Lang, em tratamento há 10 anos contra Leucemia, com a mãe, Divone Alves e a irmã, Djulia Karina Lang que foi a doadora da medula óssea para o transplante da Lara. (Foto: divulgação/Camila Hampf Mendes)

Aos 13 anos, Lara Cristine Langue nunca participou da produção de um filme. Mas viu a própria história na tela do cinema em trechos do longa “O que de verdade importa”, que estreia no Brasil nesta quinta-feira (27). Uma das personagens é uma adolescente com câncer, praticamente sem esperanças de cura. Realidade que a Lara conhece bem.

No longa, a família da menina busca a ajuda de um “curador” em uma pequena província do Canadá. Um dos sonhos da garota, que já não acredita na própria recuperação, é ter um cachorro. Mas ela é impedida por conta da doença. Ela conversou com Ana Flavia Silva

Mais do que entreter ou sensibilizar sobre a realidade de crianças e jovens em tratamento de câncer, o filme tem uma missão. Toda a renda líquida das bilheterias é revertida para instituições que apoiam o combate ao câncer infantil.

No Brasil, sete organizações vão receber os recursos. Entre elas o Hospital Pequeno Príncipe, o maior exclusivamente pediátrico do país. A diretora executiva do hospital, Ety Gonçalves Forte, comemora a escolha da instituição.

Com o mote “nunca foi tão fácil fazer o bem”, o Hospital está em campanha, convidando a todos para comparecerem às salas de cinema no fim de semana de estreia, para garantir a presença do longa por mais tempo em cartaz.

A história mostra que simples ações no dia a dia de uma criança com câncer podem fazer muita diferença para o tratamento. E a Lara confirma a teoria.

Distribuído pela Anagrama Filmes e com direção de Paco Arango, “O que de Verdade Importa” tem estreia no dia 27 de setembro.

Reportagem: Ana Flavia Silva

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*