NacionalServiços

Filmes que retratam a juventude que valem a pena assistir

Esses filmes são popularmente conhecidos como "Coming Of Age"

 Filmes que retratam a juventude que valem a pena assistir

Foto: Divulgação A24

No dia 12 de agosto é comemorado o dia internacional da juventude, a data foi criada pela ONU em 1999 e tem como objetivo focar na educação e conscientização dos jovens sobre seu futuro papel como representantes do mundo.

No cinema, grande parte das obras que retratam o período juvenil são categorizadas como “Coming of Age”, que são filmes que acompanham o amadurecimento dos personagens. Apesar de mais comumente contarem sobre o final da adolescência, os filmes Coming of Age representam as adaptações e mudanças passadas pelos personagens ao final ou começo  de uma fase da vida. Mas o que faz esses filmes tão interessantes? O que diferencia os filmes Coming Of Age é a maneira como eles conseguem se conectar com o espectador trazendo vivências, sentimentos e eventos mundanos e universais, passando uma sensação de identificação com o público.

Em comemoração a data, confira 3 indicações de filmes:

Resumo da matéria:

Lady Bird – A Hora de Voar: 

Foto: Divulgação A24

O longa acompanha Christine ”LadyBird” McPherson (Saoirse Ronan) em seu último ano do colégio, Um de seus grandes desejos é fazer faculdade longe de Sacramento, Califórnia, cidade onde mora, porém a ideia é fortemente rejeitada por sua mãe (Laurie Metcalf). Lady Bird – como a garota exige ser chamada – não se contenta com um não e continua a seguir seus sonhos. Enquanto se prepara para a nova fase a garota vivencia diversos momentos importantes para seu amadurecimento no final da sua adolescência.

O roteiro é bem simples e baseado em vivências da diretora Greta Gerwig, e por conta disso ele se passa no ano de 2002. A ambientação do longa é maravilhosa transportando o espectador para o começo dos anos 2000 com roupas, gírias e músicas populares da época e trazendo diálogos bem informais ligados a cenas muito cotidianas.

Por se tratar das vivências da diretora ele é de fácil identificação. Esse é um dos fatores que faz o filme se destacar, conseguindo cativar os espectadores por trazer uma personagem muito humana e vivências muito reais e universais. E a própria direção do filme também se aproveita dessa questão sendo muito sutil com uma história que não tem grandes e impressionantes acontecimentos, mas sim pequenos dramas, explorando como esses momentos interferem nas vidas dos indivíduos, conseguindo, ainda, impactar e emocionar o espectador.

O roteiro entrega uma comédia dramática bem sarcástica que traz personagens que embora tenham personalidades fortes e diferentes, ainda sim são muito reais. Apesar da narrativa não ser movida por grandes eventos, a maior parte da trama é movida pelo relacionamento conturbado entre Lady Bird e sua mãe, que mesmo se amando incondicionalmente, ainda discutem constantemente por serem ao mesmo tempo parecidas demais e diferentes demais.

A montagem do filme também impressiona, já que traz ao filme um maior dinamismo, cortando excessos e trazendo cortes secos bruscos ao trocar de cenas, o que ajuda a prender a atenção do público..

E um enorme destaque do filme são as brilhantes atuações. Saoirse Ronan entrega uma das mais interessantes personagens do cinema atual. A personagem busca desesperadamente encontrar seu lugar no mundo e conquistar sua liberdade. A atriz entrega uma personagem carismática, teimosa, arrogante, ambiciosa e de personalidade forte que acredita com todas suas forças de que é especial, e o mais curioso é que o que faz ela impactante é justamente ela ser uma personagem muito real com muitas qualidades e, principalmente, defeitos. Já Laurie Metcalf traz uma personagem complexa e bem desenvolvida. Metcalf interpreta uma mãe que não consegue entender sua filha mas que ainda sim se preocupa absurdamente por ela. A atriz entrega uma performance forte e sincera conseguindo passar todos os sentimentos de sua personagem com apenas uma expressão. Ambas as atrizes trazem para as telas um dos mais interessantes e bonitos relacionamentos entre mãe e filha com brigas, embora fúteis às vezes, cheias de significado.

O longa foi indicado a 5 categorias do Oscar incluindo Melhor Filme e Melhor Direção 9 Greta Gerwig foi a 5ª mulher na história a receber indicação nessa categoria). Além disso, a obra até hoje conta com uma aprovação de 99% no rotten Tomatoes.

Honesto e humano, Lady Bird é um dos mais realistas e intimistas filmes que retratam o amadurecimento juvenil de uma maneira impecável, se tornando grandioso e impactante graças ao carinho e paixão envolvido pela direção e atuações maravilhosas.

Licorice Pizza: 

Foto: Divulgação Amazon Prime

O longa se passa nos anos 70 e acompanha a amizade e platônico romance entre o jovem empreendedor de 15 anos Gary Valentine (Cooper Hoffman) e da indecisa  e sem propósitos jovem de 25 anos Alana Kane (Alana Haim).

O filme traz uma homenagem clara aos anos 70, sendo vistos em sua ambientação, figurinos, cenários, paleta de cores e o próprio título que remete a uma famosa loja de Discos de Vinil, embora o filme não cite a loja nenhuma vez.

O roteiro é muito inteligente e divertido e desenvolve o romance entre os dois personagens de uma forma inocente, gradual e sincera, até pela grande diferença de idade entre os dois. Paul Thomas Anderson explora com perfeição a relação dos dois, que desde a primeira cena já tem uma química palpável. Através da amizade dos dois são explorados temas como o primeiro amor, o amadurecimento e a cumplicidade. 

E desde o começo do longa o diretor já traz uma das melhores cenas do longa em um plano sequência onde os dois personagens se conhecem, com diálogos rápidos, surpreendentes e muito interessantes que conseguem prender magneticamente a atenção dos telespectadores.

O diretor ainda tem a intenção de trazer uma nostalgia, já que o mesmo viveu a infância e adolescência na Califórnia durante os anos 70. Assim, no filme acompanhamos as aventuras dos dois personagens recortadas, quase como memórias, enquanto somos apresentados um pouco sobre o contexto da época.

A fotografia do filme também impecável traz uma perfeita imersão nos anos 70 com suas cores fortes e opacas e estampas marcantes.

Um dos grandes focos do filme são seus protagonistas de personalidades únicas e as exemplares atuações dos atores. O personagem de Cooper Hoffman, mesmo sendo menor de idade, age como um adulto, até na forma de se vestir, evidenciando sua pressa em crescer e já apresenta uma mentalidade muito ambiciosa e empreendedora. Gary se apaixona completamente desde o momento que vê Alana e o ator interpreta esses sentimentos perfeitamente.

Mas sem dúvidas o destaque do longa é Alana Haim. A atriz entrega uma complexa, única e interessante personagem e rouba qualquer cena que participa com suas excentricidades. Durante o longa Alana passa por diversos momentos de autoconhecimento e amadurecimento, mudando de profissões e estilos, o que torna a personagem ainda mais real e de fácil identificação. A personagem tem uma personalidade intensa que às vezes beira o imprevisível e traz uma das mais carismáticas performances dessa temporada do Oscar, mesmo, injustamente, não tendo sido indicada à categoria de melhor atriz.

Licorice Pizza é um belíssimo filme que homenageia os anos 70 e a antiga Hollywood e traz um criativo e interessante coming of age que sai dos chicles e do previsível mostrando uma inocente história de amor. 

Moonrise Kingdom:

Foto: Divulgação

O filme se passa na década de 60 em uma pequena ilha na Nova Inglaterra e conta a história de Sam (Jared Gilman) e Suzy (Kara Hayward), duas crianças que se apaixonam e resolvem fugir de casa, antes da chegada de uma tempestade que ameaça a região.

O filme é dirigido por Wes Anderson e co-roterizado por ele e Roman Coppola. Anderson pega uma história que a princípio parece simples e a transforma em um verdadeiro teatro grego, cheia de camadas e personagens cada vez mais excêntricos.

Comum do diretor, Moonrise Kingdom traz personagens muito interessantes, distintos e cheios de personalidade, que mesmo assim conseguem se manter humanos e cativar facilmente a empatia dos telespectadores. A começar por Suzy, que é uma menina curiosa, teimosa e muito determinada a fazer o que quer e gosta. A garota é muito inteligente, criativa e ardilosa que se sente muito deslocada em sua própria casa. Essa sensação é o que a une com Sam, um garoto órfão que também busca seu lugar no mundo. Ao contrário de Suzy, Sam é mais introvertido, orgulhoso e reservado, mas ainda sim se destaca no grupo de escoteiros o qual faz parte e vê na fuga com sua amada uma forma de se encontrar no mundo.

Além dos dois protagonistas o longa ainda conta com performances incríveis e marcantes de um elenco de muito peso composto por atores como Frances McDormand, Bill Murray, que já é um parceiro de longa data de Anderson, Edward Norton, Bruce Willis e Tilda Swinton. Cada um desses personagens é único e tem um dever muito específico na trama. McDormand e Murray interpretam os pais preocupados e infelizes de Suzy, Norton vive o trágico e imaturo chefe do grupo de escoteiros que Sam faz parte, Willis o xerife da ilha que tem um enorme coração, encarregado de resolver o caso das crianças e Swinton que traz uma verdadeira vilã como a responsável pelo serviço social, que está a procura de Sam Todos esses personagens são desenvolvidos de uma maneira muito interessante, servindo aos seus papéis, e atrapalhando o romance e a fuga das crianças.

A comédia traz a visão infantil de diversos acontecimentos e diverte graças às hilárias situações criadas pelas crianças e pela maneira como os diálogos são escritos, onde os jovens falam que nem adultos, de uma maneira muito formal. Além disso, traz uma inocente e bonita história de um amor juvenil, o qual Anderson retrata com uma enorme seriedade, sem fazer graça dos sentimentos das crianças.

Sobre a direção, o filme aposta em movimentos de câmera de travelling que viajam de maneira simétrica e linear beirando a perfeição – acompanhando os cenários alinhados também comuns da filmografia de Anderson – e planos sequências que deixam a obra ainda mais dinâmico e ajuda na imersão do espectador. Além disso, o longa ainda conta com uma impecável fotografia extremamente colorida que apenas ressalta o sentimento da juventude e faz referência à época em que ele se passa. E tudo isso complementado maravilhosamente pela trilha de Alexander Desplat que destaca ainda mais a narrativa.

Estranho e cativante, Moonrise Kingdom traz uma inocente e engraçada história de amor que promete entreter qualquer espectador com uma interessante aventura, trazendo uma melancolia doce e ainda sim divertida, o transportando para o universo colorido de Wes Anderson.

Por Carolina Genez com supervisão de Angela Luvisotto

carolina.genez

5º lote do Imposto de Renda está disponível para consulta

5º lote do Imposto de Renda está disponível para consulta

Os interessados devem acessar a página da Receita Federal na internet para conferir

Contas do instagram são sequestradas com links de promoções

Contas do instagram são sequestradas com links de promoções

Entenda o golpe e como evitar que pessoas mal intencionadas invadam a sua conta