Força Tarefa da Operação Lava Jato está há dois meses sem receber diárias

SUPERINTENDÊNCIA POLÍCIA FEDERALDelegados e agentes da Polícia Federal, que trabalham nas investigações da Operação Lava Jato, denunciaram sexta (17) que estão há mais de dois meses sem receber as diárias do governo federal. De acordo com o delegado Eduardo Mauat, diretor regional da Associação dos Delegados federais, dos 30 policias que trabalham nas investigações cerca de 60% vieram transferidos e não tem residência em Curitiba.

A dívida com as diárias já passa dos 200 mil reais, segundo estimativa da Associação dos Delegados Federais. Os profissionais que atuam nas diligências reclamam ainda que as diárias estão defasadas. Hoje, o valor do benefício é de 200 reais para custear todas as despesas. De acordo com o delegado Eduardo Mauat, o atraso pode sim trazer prejuízos às investigações da Operação lava Jato.

Além disso, o delegado acusa o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, de tentar barrar as investigações da Polícia Federal. Isso porque, esta semana, o depoimento em sete inquéritos que investigam operadores do esquema de corrupção na Petrobras e políticos foi suspenso a pedido de Janot.

Nesta sexta (17), os delegados da Polícia Federal lançaram um “Pacto Anticorrupção”. Uma das propostas é o fortalecimento da estrutura PF, com a criação de delegacias especializadas no combate à corrupção. Outra proposta do pacote anticorrupção é adotar o inquérito eletrônico para aumentar a agilidade das informações trocadas com a Justiça Federal e o Ministério Público, aumentando a eficiência das investigações criminais. O pacto também prevê a cooperação entre todos os órgãos públicos federais.