Fundos de pensão são opções para complementar aposentadoria

Foto: Kaitlyn Baker/Unsplash

As mudanças na previdência pública e a insegurança sobre o futuro da aposentadoria têm feito o brasileiro olhar com mais atenção para propostas de previdência privada. Tanto que a média das taxas de administração dos fundos de pensão ficou em 0,82% em 2018, segundo a Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc) – índice menor do que a última edição do levantamento, que apontava uma taxa média de 1,31%.

Segundo o presidente da Fundo Paraná, Thiago Nieweglowski a tendência é de que mais contribuintes busquem por opções privadas, especialmente para complementar a renda da aposentadoria tradicional.

Thiago assumiu a presidência da entidade há pouco tempo e tem a missão de fomentar as linhas de previdência complementar. Ele destaca que não há idade para investir em um fundo de pensão, mas quanto mais cedo, melhor.

Ele reforça ainda que os fundos de pensão podem ser mais rentáveis para os participantes em relação aos planos de previdência privada comuns. No primeiro semestre de 2019, as rentabilidades alcançadas pela empresa chegaram a 11,5% no perfil agressivo, 9,4% no moderado e 7,8% no conservador.  

Os fundos de pensão são fundos de investimentos fechados organizados e geridos por instituições e empresas que oferecem um plano de previdência complementar ao do governo.

Reportagem: Ana Flavia Silva