Gleisi diz que ‘despetização’ do governo federal é ‘retórica’ e ‘discurso de palanque’

Foto: Agência Brasil

A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, afirma que a oposição vai tentar derrubar o decreto do presidente Jair Bolsonaro, do PSL, que definiu o reajuste do salário mínimo. A deputada eleita visitou o ex-presidente Lula na superintendência da Polícia Federal, nesta quinta-feira (03), acompanhada da ex-presidente Dilma Rousseff. Dilma não atendeu a imprensa. A presidente do PT lamentou a decisão de Bolsonaro que aumentou o salário mínimo de 954 para 998 reais. Gleisi afirma que o partido trabalha para garantir o reajuste aprovado pelo Congresso.

Na análise do orçamento, o legislativo indicou um mínimo de 1006 reais. No decreto, Bolsonaro afirmou que a correção foi menor pela queda na expectativa de inflação. O valor é atualizado com base no INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) do ano anterior e o PIB (Produto Interno Bruto) de dois anos antes. Foi a primeira vez que o salário mínimo teve aumento real – acima da inflação -, em três anos.

Gleisi também respondeu o ministro Onyx Lorenzoni, que defendeu a ‘despetização’ da Casa Civil. Nesta quinta-feira (03), o governo federal publicou uma portaria que exonera comissionados e cargos de confiança na pasta. Segundo o ministro, cerca de trezentas e vinte pessoas foram desligadas da Casa Civil.

Gleisi disse que não perguntou se Lula assistiu à posse de Bolsonaro. A deputada eleita afirmou que a orientação do ex-presidente para a bancada é ‘não comprar brigas ou bater boca’, mas ‘defender os direitos do povo’.

Reportagem Cleverson Bravo