Hospital Marinho vai atender animais que aparecem na orla do litoral do Paraná

Foto: divulgação/ Almir Alves

Nos últimos três anos, nove mil animais marinhos já foram encontrados encalhados nas praias do Paraná. A presença desses animais, como pinguins, golfinhos e tartarugas é cada vez mais comum no litoral do Estado.  

Apesar do crescimento, um em cada dez animais é encontrado com vida nas areias da orla paranaense. A situação é preocupante, já que o número de mortalidade dobrou nas praias do Paraná, Santa Catarina e São Paulo. Por causa disso, pesquisadores intensificam os estudos para saber as causas desse cenário.

Desde a década de 80 funciona o Centro de Estudos do Mar, da Universidade Federal do Paraná. O campus, que fica em Pontal do Paraná, é considerado avançado para o ensino, pesquisa e extensão da área marinha.

A bióloga Camila Domit trabalha no local há mais de 12 anos. Ela coordena o laboratório de ecologia e conservação do centro de oceanografia paranaense. Segundo ela, a interferência humana no ambiente marinho é a principal responsável pelos danos causados a esses animais.

O Centro de Estudos do Mar concentra várias pesquisas importantes, algumas até mesmo internacionais.

Para auxiliar os pesquisadores, um hospital marinho deve ser inaugurado ainda neste ano em Pontal do Sul. A área deve servir como um centro de reabilitação de tartarugas, lobos-marinhos, pinguins, golfinhos e outras espécies que costumam aparecer no litoral do Paraná.

No local devem ser construídos laboratórios de análises, piscinas, recintos, além de uma sala de educação ambiental que deve ser usada para atender estudantes.

A unidade deve atender, aproximadamente, 120 animais marinhos.

Reportagem: Lorena Pelanda

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*