ParanáGeral

Inquérito vai apurar limpeza de registros de acesso à imagens

Tesoureiro do PT, em Foz, foi assassinado durante a comemoração do aniversário

 Inquérito vai apurar limpeza de registros de acesso à imagens

Foto: Reprodução

A Justiça determinou a abertura de inquérito, na tarde desta segunda-feira (08), para apurar a possibilidade de fraude processual, na limpeza dos registros dos acessos às imagens das câmeras de segurança do local em que o tesoureiro do PT, em Foz do Iguaçu, Marcelo Arruda, foi assassinado, no dia 9 de julho. A decisão é do juiz Gustavo Germano Francisco Arguello, após solicitação do Ministério Público.

O guarda municipal foi morto durante a comemoração do aniversário de 50 anos, que tinha alusão ao PT e ao ex-presidente Lula. Para a defesa da família da vítima, a limpeza dos registros foi uma tentativa de destruição de provas. Conforme a denúncia, o policial penal Jorge Guaranho decidiu ir até a festa de aniversário após ter acesso às imagens do circuito interno do clube onde acontecia o evento. Um laudo da Polícia Científica do Paraná indica que os registros foram apagados menos de 36 horas depois do assassinato.

O policial penal é réu por homicídio duplamente qualificado. A denúncia diz que o crime foi cometido com motivação fútil, por “preferências político-partidárias antagônicas”.

Band News Curitiba - 96,3 FM

A BandNews Curitiba está na cidade desde 2006. A emissora caiu no gosto do curitibano e, atualmente, está entre as dez rádios mais ouvidas da cidade.

Fomento Paraná oferece linhas de crédito para investimentos no turismo

Fomento Paraná oferece linhas de crédito para investimentos no turismo

Foco são pequenos negócios como hotéis, pousadas, bares e também parques e centros de eventos

Nota Paraná faz sorteio de R$1 milhão de reais

Nota Paraná faz sorteio de R$1 milhão de reais

Ganhadora é de Curitiba e o segundo maior prêmio é de Jacarezinho

Gaeco apura desvios em sindicato da região norte do PR

Gaeco apura desvios em sindicato da região norte do PR

As investigações tiveram início em 2020 e apuram crimes cometidos por três dirigentes do sindicato