Irmão de ex-governadora Cida Borghetti se torna réu em ação relacionada à Operação Quadro Negro

Foto: Facebook/Reprodução

O ex-vereador de Curitiba Juliano Borghetti, irmão da ex-governadora do Paraná, Cida Borghetti, virou réu em ação penal relacionada a Operação Quadro Negro.  Além dele, também é acusado no mesmo processo o dono da Construtora Valor, Eduardo Lopes de Souza. Os dois respondem pelos crimes de corrupção ativa e passiva.

A denúncia foi aceita pelo juiz Fernando Bardelli Fischer, da 9ª Vara Criminal de Curitiba, no dia 10 de janeiro. Desencadeada em 2015, as investigações da Quadro Negro apuram desvios de pelo menos R$ 20 milhões em obras de construção e reformas de escolas públicas estaduais. Na denúncia, o Ministério Público do Paraná afirma que Eduardo Lopes de Souza pagou propina a Juliano Borghetti para que ele nomeasse uma pessoa de confiança para trabalhar como assessora no gabinete da então vice governadora Cida Borghetti em 2015.

Conforme o MP, foram feitos três repasses de quinze mil reais feitos em janeiro, fevereiro e março daquele ano. Cida não é investigada na ação penal. A defesa de Eduardo de Souza informou que não teve acesso ao processo e, portanto, não vai se manifestar. Já Juliano Borghetti negou as acusações e informou que o dinheiro que recebeu foi declarado no Imposto de Renda e se refere a três meses que trabalhou na empresa Valor.

Reportagem: Thaissa Martiniuk

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*