Juiz determina retirada de tornozeleira eletrônica de Rocha Loures

O juiz Jaime Travassos Sarinho, da 15ª Vara Federal de Brasília, determinou a remoção da tornozeleira eletrônica do ex-deputado Rodrigo Rocha Loures, do MDB do Paraná, conhecido como “homem da mala” do presidente Michel Temer. Rocha Loures está, há um ano e quatro meses, em regime domiciliar noturno, impedido de deixar o País e proibido de manter contato com qualquer investigado, réu ou testemunha relacionados às investigações da delação da J&F. Na decisão, o juiz federal destacou que Rocha Loures já foi interrogado e está colaborando com as investigações.

De acordo com o juiz, além de remover a tornozeleira eletrônica, Rocha Loures poderá se deslocar entre o Distrito Federal, o Paraná e o Estado de São Paulo, independentemente de autorização judicial. Mesmo que saia de Brasília, o ex-deputado terá de ficar em recolhimento domiciliar, das 20h às 6h, em endereços no Paraná e em São Paulo previamente informados à Justiça. Em maio de 2017, Rocha Loures foi filmado pela Polícia Federal com uma mala com R$ 500 mil que seria propina da J&F para o presidente Michel Temer, que nega. Loures recebeu a mala de dinheiro em um restaurante em São Paulo. Na época, Loures ocupava um cargo de assessor especial do presidente.

Depois do flagrante, Rocha Loures entregou a mala à PF, em 23 de maio do ano passado, mas com R$ 465 mil. Depois, no mesmo dia, o ex-deputado devolveu os R$ 35 mil que estavam faltando. Loures chegou a ficar preso por 27 dias em junho do ano passado. Desde julho, usa tornozeleira em casa. A parte do processo que envolve Temer foi suspensa por decisão da maioria dos deputados da Câmara Federal. A ação deve ser retomada assim que o presidente deixar o cargo e perder o foro privilegiado.

Reportagem: Narley Resende

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*