Juiz nega pedido para retirar vídeo de depoimento de Fernanda Richa do sistema do TJ

O juiz Fernando Fischer, da 13ª Vara Criminal de Curitiba, negou nesta quinta-feira pedido da ex-primeira-dama Fernanda Richa para que o vídeo com imagens do depoimento dela no Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Geeco) no dia 14 de setembro seja retirado do sistema do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR). Fernanda argumentou que desde que o material foi anexado ao processo, vazamentos para a imprensa causaram uma superexposição de sua imagem.

Em despacho, o juiz esclareceu que o processo é de caráter público e não há motivo para ocultação. Além disso, Fernando Fischer explica que o depoimento da investigada foi colhido sem nenhuma violação legal, razão pela qual não há motivos para a sua retirada do sistema. Na petição, o advogado Eduardo Sanz afirma que a desnecessária superexposição da imagem de Fernanda traz “prejuízos que contrastam com a presunção de inocência, direito a intimidade e imagem“. Para o defensor, “não se trata de censurar fatos, mas de resguardar os direitos individuais”.

Fernanda Richa, o marido, ex-governador Beto Richa e outras 13 pessoas foram presas por quatro dias na Operação Rádio Patrulha, que investiga fraudes no Programa Patrulha do Campo, que promove manutenção em estradas rurais. O ex-governador e outras 12 pessoas já foram denunciadas pelo Ministério Público Estadual. Fernanda e o contador da família Richa, Dirceu Pupo, foram excluídos da denuncia, no entanto, o MP afirma que serão instaurados novos procedimentos relacionados aos dois.

Reportagem: Narley Resende/Thaissa Martiniuk

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*