PolíticaEleições

Justiça determina que Moro tire do ar vídeo de pré-campanha

Juíza entendeu que o ex-ministro usou indevidamente a imagem de um músico

 Justiça determina que Moro tire do ar vídeo de pré-campanha

Foto: reprodução/Twitter

O ex-juiz e pré-candidato Sergio Moro (União) terá que tirar do ar um vídeo de campanha publicado nas redes sociais. A decisão é da juíza Ana Lúcia Ferreira, da 6ª Vara Cível de Curitiba. A magistrada entendeu que houve uso indevido da imagem de um músico e determinou que a peça seja retirada no prazo de dois dias a partir do momento em que o ex-juiz for notificado. Caso a postagem não seja retirada, Moro pode ser multado em R$ 1 mil, por dia, e R$ 5 mil se o vídeo for apresentado em eventos públicos ou partidários.

Moro ainda terá de comparecer a uma audiência conciliatória, marcada para 14 de setembro, para discutir o pagamento de uma indenização. Caso não haja acordo, o valor será decidido pela Justiça.

A ação foi movida pelo músico Reinaldo Soares Guimarães Neto, que aparece no vídeo em dois momentos. Na ação, ele relata que tem posições políticas diferentes das de Moro e que passou a ser alvo de chacotas. Ainda conforme a ação, o música afirma que estaria tendo dificuldades para realizar trabalhos em bares de Curitiba.

O vídeo foi apresentado por Moro no dia 14 de junho, durante uma coletiva de imprensa. Na ocasião, o ex-ministro anunciou que concorreria nas eleições deste ano no Paraná depois de ter o registro negado pela Justiça Eleitoral de São Paulo.

Por meio da assessoria, Sergio Moro afirmou que não foi notificado e que não tem conhecimento dos autos.

leonardo.gomes

Eleições: inelegibilidade de Deltan não tem efeito imediato

Eleições: inelegibilidade de Deltan não tem efeito imediato

Condenação pelo TCU pode acarretar em inelegibilidade, mas após o escrutínio da Justiça Eleitoral

Concursos: projeto que reserva vagas para PCDs avança na CMC

Concursos: projeto que reserva vagas para PCDs avança na CMC

Projeto de lei atualiza legislação municipal para cumprir o que determina a Constituição Federal

TCU condena Dallagnol e Janot por diárias da Lava Jato

TCU condena Dallagnol e Janot por diárias da Lava Jato

Decisão pode tornar ambos inelegíveis. Dallagnol afirma que vai recorrer da decisão

CCJ nega recurso de Freitas sobre o prazo do julgamento

CCJ nega recurso de Freitas sobre o prazo do julgamento

Defesa aponta que Legislativo excedeu o tempo para julgar o vereador