Líder do governo na Alep diz que governo abandona negociação com funcionalismo se greve for iniciada

Foto: Dálie Felberg/Alep

A greve dos servidores públicos estaduais foi um dos assuntos discutidos hoje (24) na Assembleia Legislativa do Paraná. Para o deputado Hussein Bakri (PSD), líder do governo Casa, a não concessão do reajuste neste momento é, sobretudo, uma questão de responsabilidade. Ele argumenta que a atual gestão começou há pouco tempo e que a paralisação deve ser sempre considerada a última opção em um cenário de negociação, o que não é o caso do Paraná.

De acordo com o parlamentar, o Executivo pretende abandonar o diálogo caso os trabalhadores realmente cruzem os braços.

Ele também argumentou que nenhum estado do país concedeu a data-base do funcionalismo por causa da crise que o Brasil atravessa. E pediu apoio aos outros deputados para evitar a greve.

Como exemplo de boa vontade do governo especialmente com os professores, Bakri citou, entre outras coisas, a negociação em torno do valor da hora-aula e da hora-atividade. Depois da sessão plenária, o político falou mais uma vez citando os avanços em vários pontos da pauta de reivindicações que comprovam a intenção do Executivo de chegar a um acordo com os trabalhadores.

A queda no repasse do Fundo de Participação dos estados recuou 10% neste mês na comparação com junho do ano passado. Esse recurso está previsto na Constituição e determina que 21,5% da receita arrecadada com o imposto de renda e o imposto sobre produtos industrializados sejam repassados pela União às unidades da federação e ao Distrito Federal.

Reportagem: Daiane Andrade