COLUNAS

Colunistas // Mirian Gasparin

Compra de imóveis como opção de investimento deve alavancar ainda mais os negócios com usados

 Locação residencial bate recorde em Curitiba

Foto: Fábio Dias/PCPR

A exemplo do que já informamos esta semana sobre o crescimento dos negócios envolvendo imóveis comerciais, no caso dos imóveis residenciais, quando o item é aluguel, as imobiliárias de Curitiba estão batendo recorde no que diz respeito a fechamento de contratos. Em abril, o índice de Locação Sobre a Oferta de imóveis passou de 30%, representando o maior percentual registrado desde 2012, quando o Instituto Paranaense de Pesquisa e Desenvolvimento do Mercado Imobiliário e Condominial (Inpespar) iniciou a sondagem de dados.

Diante da demanda crescente, a tendência é que haverá redução do estoque de imóveis destinados à locação e, consequentemente, os preços dos alugueis residenciais subirão ainda mais. Isso significa que adquirir casas ou apartamentos para alugar vem se tornando, desde o ano passado, uma boa opção de investimento.

O vice-presidente de comercialização imobiliária do Secovi-PR, Josué de Souza, me apontou alguns motivos que estão tornando o investimento imobiliário tão interessante. Segundo o empresário, períodos eleitorais geralmente são marcados por incertezas econômicas. Dessa forma, parte do volume de aquisições verificada no primeiro quadrimestre do ano pode ser explicada por conta do cenário atual. Outro item importante é que o investimento em imóveis sempre foi considerado uma opção segura, principalmente, no longo prazo. Sem contar, que dificilmente um imóvel perde valor.

Quando analisamos o preço dos aluguéis em Curitiba, verificamos que o índice FipeZap  aponta uma alta de 17% nos últimos 12 meses. No mês passado, por exemplo, o preço médio por metro quadrado da locação residencial na capital paranaense foi de R$ 25,80. Já para quem quer comprar um imóvel em Curitiba, o preço médio por metro quadrado está em R$ 7.700. Nas aquisições de imóveis residenciais, a pesquisa do Inpespar aponta que o Centro de Curitiba é o mais procurado, respondendo por mais de 11% das negociações. Em seguida aparecem os imóveis localizados nos bairros, CIC (4,8%), Água Verde (4,4%) e Boa Vista (4,4%).

Já para compras de terrenos, o Santa Cândida foi o bairro mais procurado no mês passado pelos investidores com 17% das negociações, seguido por Hauer (10,3%), Bairro Alto (6,9%) e CIC (6,9%).

Confira abaixo a coluna em áudio:

Mirian Gasparin