Luiz Abi Antoun recorre a Gilmar Mendes para não ser preso

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

A defesa do primo do ex-governador do Paraná, Beto Richa, investigado na nova fase da Lava Jato, Luiz Abi Antoun, recorreu ao ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal para não ser preso temporariamente. Os advogados querem que Abi seja beneficiado por um habeas corpus semelhante ao que já foi concedido a ele e a Richa na Operação Rádio Patrulha.

O ministro liberou os investigados da prisão por considerar que as prisões eram uma antecipação da pena. A defesa de Abi alega que o mesmo ocorre na Lava Jato. Ele foi um dos principais alvos de mandado de prisão da 55ª etapa da operação, que investiga a corrupção envolvendo a concessão de rodovias federais no Paraná.

Abi é apontado pelo Ministério Público Federal como sendo uma espécie de caixa geral do esquema. O empresário só não foi preso ontem, quando a nova fase foi deflagrada, porque estava de viagem ao Líbano. Ele é investigado em outras fraudes no Paraná, mas conseguiu na Justiça uma autorização para viajar.

Reportagem: Juliana Goss

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*