Medida Provisória que vai ser votada nesta terça-feira impacta mais 1 milhão de alunos da rede estadual de ensino do PR

No Paraná, só na rede pública estadual, mais de 1 milhão de alunos devem ser impactados pela Medida Provisória 934 que vai ser votada nesta terça-feira (30) na Câmara Federal. A medida cria novas regras para o ano letivo que já está curso. Por causa da pandemia do coronavírus, estudantes e professores brasileiros, da educação básica até o ensino superior, precisaram se adaptar a novas formas de aprendizado e o calendário escolar das escolas públicas e privadas precisa ser alterado. A medida faz os ajustes ao calendário escolar e também prevê o adiantamento da formatura dos estudantes do ensino superior da área da saúde.

De acordo com o texto do projeto, não é mais necessário o cumprimento dos 200 dias letivos, mas o aluno vai precisar ter acesso às 800 horas-aulas previstas na lei. Segundo a relatora da Medida Provisória, a deputada federal paranaense Luisa Canziani (PTB-PR), a flexibilização do calendário de 200 dias letivos vale, apenas, para a educação infantil:

Se aprovada, a medida provisória também abre a possibilidade dos alunos dos cursos superiores da área da saúde, adiantarem a formatura para que estejam aptos a trabalhar no enfrentamento a pandemia, como explica a deputada:

De acordo com a deputada, outra mudança que também consta no texto no projeto é a possibilidade dos alunos permanecerem por mais um ano no ensino médio, o quarto ano, que tem por objetivo preparar melhor o aluno para ingressar no ensino superior:

Por causa da pandemia, os índices de evasão escolar preocupam as autoridades. No Paraná, os alunos da rede estadual, assim como estudantes do Brasil inteiro, estão acompanhando os conteúdos de forma virtual ou pela televisão desde abril. Para Gláucio Dias, que é diretor geral da Secretaria Estadual da Educação, o maior desafio foi a urgência para a implantação do ensino remoto no estado:

Segundo uma pesquisa do Datafolha, o ensino remoto no Paraná alcança mais de 90% da totalidade dos alunos matriculados. Um número superior à média nacional, onde a participação dos estudantes não ultrapassa os 75% do número total de alunos matriculados na rede estadual de ensino.

Reportagem: Angela Luvisotto