PolíticaGeral

Moro e Dallagnol devem justificar financiamento de campanha

Ações foram movidas pela Federação Brasil da Esperança e apontam possíveis irregularidades

 Moro e Dallagnol devem justificar financiamento de campanha

Fotos: Agência Brasil

O senador eleito Sergio Moro (União Brasil) e o deputado federal eleito Deltan Dallagnol (Podemos) devem apresentar defesas sobre possíveis irregularidades financeiras em suas pré-campanhas. As ações foram movidas pela Federação Brasil da Esperança, formada pelo PT, PCdoB e PV e pedem a cassação dos diplomas dos eleitos e que eles se tornem inelegíveis. Cada um tem 5 dias para apresentar a defesa. 

No caso de Dallagnol, a acusação é de que houve contratação por valores elevados de um assessor sem experiência e na aquisição do domínio do site de campanha, que pertencia ao irmão deste assessor. O processo indica que parte significativa destes valores teriam sido desviados para o financiamento da campanha de Dallagnol.  

Já no caso de Moro, a acusação é de que ele teria utilizado os recursos do Fundo Partidário e do Fundo Especial de Campanha ainda durante a pré-campanha e com triangulação de valores dos partidos Podemos e União Brasil.  A alegação considera ainda a possível existência de um caixa dois no período. Depois do prazo para a apresentação da justificativa, haverá 5 dias para ouvir testemunhas. Este processo corre em segredo de justiça. 

Moro se pronunciou sobre a questão, a BandNews recebeu a manifestação dele por escrito: “A ação do PT é mero choro de perdedor e reflete o medo do partido de enfrentar uma oposição inteligente e democrática no Senado. Nada tememos, pois especulações fantasiosas não afetam a regularidade de nossas ações”. 

Em nota, Deltan Dallagnol disse que o processo tem os mesmos fundamentos que outro movido contra ele anteriormente e que o Tribunal já tinha considerado improcedente. O deputado federal eleito considerou ainda que o PT está promovendo uma perseguição contra ele e outras autoridades que investigaram e processaram o que ele chamou de crimes do partido.

Leia a nota de Deltan Dallagnol na íntegra

A frágil ação movida pela Federação “Brasil da Esperança” contra Deltan Dallagnol
é puramente especulativa, requentada e vingativa. Os fatos trazidos já foram
examinados pelo Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE/PR) em outra ação
ajuizada em 2022, que o TRE/PR julgou improcedente por unanimidade. O TRE/PR
entendeu que a ação era vaga e genérica e que não existem provas de
irregularidades na pré-campanha de Deltan Dallagnol ou na atividade
político-partidária do Podemos/PR. A nova ação, que é nova apenas no pedido e
não nos fundamentos, requenta, de forma leviana e aloprada, estes mesmos fatos,
revelando seu único propósito de continuar aquilo que o PT sempre fez com as
autoridades que investigaram e processaram seus crimes: perseguir
implacavelmente quem, fazendo o certo, prejudica os interesses do partido.

Reportagem Amanda Yargas

amanda.yargas

Governo mantém previsão de pedágio por menor tarifa

Governo mantém previsão de pedágio por menor tarifa

Ainda não há previsão de licitação, mas a expectativa é concluir o processo em 2023

Governador do Paraná abre os trabalhos na Assembleia Legislativa

Governador do Paraná abre os trabalhos na Assembleia Legislativa

A mensagem do governador faz parte do rito institucional previsto na Constituição