MPF reitera pedido de condenação do ex-presidente Lula em ação envolvendo o Sítio de Atibaia

(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Os procuradores da força-tarefa da Lava Jato reiteram o pedido de condenação do ex-presidente Lula na ação penal relacionada ao Sítio em Atibaia. O pedido consta nas alegações finais do Ministério Público Federal, protocoladas na noite desta segunda-feira (10) no sistema da Justiça Federal do Paraná. Neste processo, Lula é acusado de ter sido beneficiado por reformas no sítio que custaram cerca de R$ 1 milhão.

O valor soma gastos custeados pelo empresário José Carlos Bumlai, pela Odebrecht e pela OAS. O MPF pede ainda a condenação dos outros 12 réus da ação. Segundo a acusação, o ex-presidente teria praticado 10 vezes o crime de corrupção passiva e 44 vezes o de lavagem de dinheiro.

A juíza Gabriela Hardt determinou o prazo máximo para a entrega das alegações finais. As defesas dos réus terão até o dia 7 de janeiro do ano que vem para se manifestar, contando com o período de recesso no judiciário. Depois disso, a juíza pode proferir a sentença. Por meio de nota, a defesa do ex-presidente Lula afirma que “nas 366 páginas escritas pelos procuradores não há indicação de qualquer prova da culpa de Lula, mas apenas ilações baseadas em afirmações de delatores”.

O documento também omite as provas de inocência de Lula, como, por exemplo, ao deixar de citar perícia feita pela defesa no sistema de contabilidade paralela da Odebrecht que comprovou que os valores que a acusação tenta vincular ao ex-presidente na verdade foram sacados em benefício de um alto executivo daquele grupo empresarial.

Reportagem: Juliana Goss

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*