Na primeira semana, vacinação contra sarampo e pólio está abaixo da média esperada para o período

Foto: Cesar Brustolin/SMCS

Sábado (18) é o Dia “D” da Campanha Nacional de Vacinação contra o sarampo e a poliomielite, e, por enquanto, a adesão está um pouco aquém do esperado. A ideia é que, ao todo, 581 mil crianças sejam imunizadas, mas entre 6 de agosto, quando as doses começaram a ser aplicadas, e o fim da tarde de ontem (13), a cobertura estava em aproximadamente 14%.

Esse índice considera os dois tipos de proteção e está abaixo do que a média calculada para uma semana de trabalho. O ideal seria que pouco mais de 145 mil meninos e meninas, ou seja, 25% do público-alvo, já estivessem imunes às doenças.

A campanha vai até 31 de agosto e, para evitar que as famílias deixem para levar os pequenos às unidades de saúde na última hora, no sábado a iniciativa é especial. É o Dia “D” da mobilização, quando todos os postos de saúde do país ficam abertos das 8 horas às 16 horas.

Vacinar é a única forma de proteger as crianças das enfermidades, que são graves e podem até matar. Ainda mais agora, quando vários países já registraram surtos e até mesmo no Brasil há casos confirmados pelo Ministério da Saúde.

Além de evitar as doenças, a imunização também é uma espécie de barreira para que os vírus não sejam reintroduzidos no país.

Foto: Cesar Brustolin/SMCS

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*