COLUNAS

Colunistas // Mirian Gasparin

Produtos ou serviços oferecidos devem contribuir para melhorar vida da população de baixa renda

 Negócios de impacto apresentam boas oportunidades para empreender

Foto: BRDE

No mundo corporativo e de investimentos muito tem se falado nesses últimos anos sobre negócio social, negócio de impacto social ou simplesmente negócio de impacto. Esse novo modo de fazer negócios tem se espalhado, principalmente porque os problemas sociais estão cada vez maiores e não podem ser resolvidos apenas pelas ONGs ou pelo governo. Dessa forma, os empreendedores passaram a observar que o campo social está cheio de oportunidades. Porém, isso não significa fazer filantropia nem doações.

Agora, antes de tudo, é importante esclarecer o que realmente é um negócio social e um negócio de impacto social, e o objetivo de cada um deles.

Pois bem, um negócio de impacto é aquele que procura resolver questões existentes em um determinado espaço geográfico com a intenção de causar efeito positivo em camadas socioambientais e gerar valor compartilhado. Ou seja, é um conceito de inovação que valoriza a vida.

Já um negócio social é uma iniciativa empreendedora que busca solução a uma questão social ou ambiental. São empreendimentos que combatem o trabalho escravo, a pobreza e incentivam a produção de serviços ou produtos acessíveis. No negócio social todo o lucro é utilizado para ampliar as atividades da própria empresa e garantir o impacto social.

Eu vou citar dois exemplos em que essas definições ficarão mais claras. Um serviço que fornece eletricidade solar para uma comunidade rural isolada no interior do Paraná pode ser considerado um negócio de impacto social pela demanda da comunidade. No entanto, esse negócio não teria a mesma relevância, em Curitiba, onde a população está conectada a uma grande rede elétrica estadual.  Além disso, outra grande diferença dos negócios de impacto social para os tradicionais é que essa iniciativa não é desenvolvida para um ganho pessoal, e sim para um grupo de pessoas.

Os negócios de impacto social devem vender produtos ou serviços que contribuam para melhorar a qualidade de vida da população de baixa renda. Aliás, os produtos ou serviços devem acima de tudo sustentar financeiramente a empresa, de forma que ela não dependa de doações ou da captação de recursos para as suas operações.

Outro ponto importante é que o negócio deve ter um plano de gestão inovador e comprometido com a transformação social.  

Confira abaixo a coluna em áudio:

Mirian Gasparin