No Dia Mundial do Urbanismo, Jaime Lerner defende mobilidade que valorize pessoas e não carros

Foto: Lenise Klenk/BandNews FM

 

Urbanismo é uma espécie de sobrenome do arquiteto curitibano Jaime Lerner, que em dezembro completa 81 anos. São dele e das equipes que o acompanharam ao longo de toda a carreira as principais marcas que transformaram Curitiba em uma referência. Em entrevista à BandNews nesta semana, em lembrança ao Dia Mundial do Urbanismo, comemorado nesta quinta-feira (8), Lerner defendeu projetos de mobilidade que valorizem a vida pessoas e condenou o uso de tecnologia para favorecer a performance dos automóveis. Lerner se formou em 1964 na Escola de Arquitetura da Universidade Federal do Paraná.

No ano seguinte, participou da criação do Instituto de Planejamento Urbano de Curitiba (IPPUC), responsável pelo Plano Diretor da cidade. Filiado à Arena, foi nomeado prefeito da capital paranaense pelos militares em 1971 e em 1979. E voltou à prefeitura, desta vez eleito, em 1989. Depois, foi governador do Paraná por duas gestões, a partir de 1995. Ainda no comando de um escritório de arquitetura, Lerner diz que os projetos urbanísticos de Curitiba são reconhecidos graças a soluções inovadoras no transporte e meio ambiente, acompanhadas de execuções ágeis.

Segundo o arquiteto, o sistema de transporte de Curitiba foi replicado em aproximadamente 250 cidades do mundo inteiro. Uma das convicções mais controversas de Lerner é a que mantém contra o sistema de metrô. Um dos principais argumentos é o alto custo. De acordo com o arquiteto, o tripé vias exclusivas para o transporte coletivo, embarque rápido e intervalos curtos entre os veículos é uma solução para cidades de qualquer porte.

Sobre mobilidade e vida nas cidades, Lerner defende que qualquer projeto priorize as pessoas. Para ele, o investimento em tecnologia não pode ser pautado no benefício aos automóveis.

O arquiteto Jaime Lerner tem projetos espalhados por diversas cidades do mundo. Ele reclama que nem todos têm sido executados, como é o caso de propostas apresentadas aos municípios do Rio de Janeiro e São Paulo. Entre os que estão sendo colocados em prática, Lerner destaca o Parque da Orla de Porto Alegre e projetos de moradia que estão sendo executados em 13 cidades de Angola.

Reportagem: Lenise Klenk

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*