Número de infartos e AVCs cresce durante o inverno

Durante o inverno o número de infartos cresce aproximadamente 30%, segundo o Instituto Nacional de Cardiologia.

Além disso, a quantidade de casos de acidente vascular cerebral também aumenta neste período. Segundo o cardiologista do Hospital Marcelino Champagnat, Gustavo Lenci Marques, os riscos de problemas cardiológicos estão relacionados aos vasos sanguíneos, que ficam mais fechados no frio, e à mudança de hábitos de exercício e alimentação nesta época.

Em meio a pandemia do coronavírus a preocupação é maior ainda, porque as pessoas estão demorando para procurar atendimento. A Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista apontou uma diminuição de 70% no número de procedimentos voltados para controlar o infarto. O dado diz respeito ao mês de abril deste ano, quando comparado ao mesmo período de 2019.

O médico, Gustavo Lenci, comentou que com medo da contaminação pela covid-19, os pacientes estão adiando os exames e as consultas.

No Hospital Marcelino Champagnat, o volume de exames e consultas eletivas e de pronto atendimento chegou a cair em torno de 80% nos meses de abril e maio deste ano. Gustavo reforçou que o paciente deve manter o cuidado com a saúde e, se sentir qualquer dor excessiva no peito, não deve atrasar a procura dos serviços médicos.

A Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR) também alertou a população brasileira para que não tenha receio de procurar ajuda médica ao longo da pandemia.

Segundo o diretor científico da SBR, Eduardo Paiva, a instituição publicou diversas orientações para que os pacientes não parem de fazer os tratamentos durante a quarentena.

De acordo com a SBR, não há estudos que confirmem que os indivíduos com reumatismo se integram no grupo de risco para a covid-19. Mas é certo, por exemplo, que essa população possui maior probabilidade de desenvolver sintomas graves da gripe.

Reportagem: Fernanda Scholze